Is your surname Ribeiro?

Research the Ribeiro family

Ana Ribeiro's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Ana Ribeiro

Also Known As: "Anna Ribeiro"
Birthdate:
Birthplace: Lamego Municipality, Viseu, Portugal
Death: Died in São Paulo, São Paulo, Brasil
Place of Burial: São Paulo, São Paulo, State of São Paulo, Brazil
Immediate Family:

Daughter of Estêvão Ribeiro Baião Parente and Madalena Fernandes Feijó de Madureira
Wife of Antonio Rodrigues de Alvarenga
Mother of Jerônimo de Alvarenga; Luís Monteiro; Antonio Pedroso de Alvarenga; Bento de Alvarenga; Maria Rodrigues de Alvarenga and 5 others
Sister of Pantaleão Pedroso; Cecília de Quadros; Estevão Ribeiro, o Moço; Ascenço Ribeiro and Leonor Pedroso

Managed by: John Edward Davies
Last Updated:

About Ana Ribeiro

Ana Ribeiro (* Viseu, Lamego + São Paulo, São Paulo 23.10.1647)

Pai: Estevão Ribeiro Baião Parente Mãe: Madalena Fernandes Feijó de Madureira

Casamento: Santos, São Vicente com António Rodrigues de Alvarenga

Filhos:

  • Jerônimo de Alvarenga
  • Maria Pedroso de Alvarenga casada com Sebastião de Freitas
  • Francisco de Alvarenga casado com Luzia Leme
  • Luiz Monteiro casado com Merência Vaz
  • Estevão Ribeiro de Alvarenga casado com Maria Missel
  • Ana de Alvarenga casada com Domingos Rodrigues, Pedro de Araújo e Pedro da Silva
  • Antonio Pedroso de Alvarenga casado com Ana Correia
  • Bento de Alvarenga
  • Tomásia de Alvarenga casada com Francisco de Almeida e Manuel Rodrigues Mexilhão
  • Maria Rodrigues de Alvarenga casada com Manoel Mourato Coelho

(Fontes: GPAUL-vol. V-pg. 214 e GPAUL-vol. VII-pg. 166 em http://www.geneall.net/P/per_page.php?id=599493)

http://capitaodomingos.com/0-o-livro-dos-leme/:

Ana Ribeiro, natural de São Vicente, onde nasceu cerca de 1560, era filha de Estevam Ribeiro Baião Parente e de Magdalena Fernandes Feijó de Madureira. Faleceu em 23 de outubro de 1647 em São Paulo, com testamento, tendo sido sepultada na capela-mor da igreja dos carmelitas, em jazigo próprio.

Luiz Gonzaga Silva Leme, em seu “Genealogia Paulistana”, informa que seu nascimento se deu no Porto, Portugal. Tal informação não guarda consonância com o seguinte depoimento de Ana Ribeiro de 9 de Abril de 1622, constante do processo de canonização do Padre José de Anchieta, publicados na Revista da ASBRAP nº 3: “Natural de São Vicente, com mais de 60 anos de idade, filha de Estêvão Ribeiro e de Madalena Fernandes. Durante algum tempo com ele se confessou em São Vicente. Relatou um milagre acontecido com seu filho, Jerônimo, que então contava 2 anos de idade. Estava há três dias sem se alimentar. Apresentou-o ao Padre Anchieta, que passava pela sua porta. “Deixe-o ir para o céu”, disse Anchieta. Isso à noite. No dia seguinte o menino estava bom, inclusive de uma ferida incurável que até aí tinha no rosto. Todos reconheceram o milagre: nem um sinal ! Narrou outro episódio, em que tomou parte seu marido Antônio Rodrigues, que abandonou um índio que estava enfermo havia 5 anos. Voltando Anchieta à Vila de São Vicente pede a Antônio que tratasse do índio. Fazendo-se vir o índio de São Paulo para São Vicente, onde ficou internado em casa dos padres destinada aos índios, lá o medicou Rodrigues três ou quatro vezes. Sarou prontamente. A cura foi atribuída a Anchieta. De relíquia, possuía um dente dele. Sobre Anchieta disse ser ele homem milagroso, apostólico, celeste”. Outro depoimento de Ana Ribeiro, este de 7 de Janeiro de 1628: “Natural da Vila de São Vicente, com cerca de 68 anos de idade, filha de Estêvão Ribeiro e de Madalena Fernandes. Conheceu-o e tratou com ele, e com ele se confessou muitas vezes, na Vila de São Vicente, no tempo que já tem dito. Teve um filho na Companhia que com a idade de dois anos, já moribundo, foi curado por Anchieta e depois saiu dela. No que profetizara o Padre José: “Deixai-o ir para a glória, que não vos dê algum desgosto”. Seu marido, Antônio Rodrigues, que Deus tem, extraiu um dente de Anchieta, que ela conservava com grande veneração. A mãe dela, testemunha também, tinha grande veneração por ele. Narrou o episódio da peça de teatro que encenaram em São Vicente e não choveu enquanto a obra se desenvolveu, apesar das nuvens carregadas. Ela e muitas outras mulheres lhe pediam que lhes fizesse alguns milagres e o dito padre pelejava com elas e as repreendia por lhes dizerem aquilo”

view all 14

Ana Ribeiro's Timeline

1555
1555
Lamego Municipality, Viseu, Portugal
1647
October 23, 1647
Age 92
São Paulo, São Paulo, Brasil
October 23, 1647
Age 92
São Paulo, São Paulo, State of São Paulo, Brazil
????
????
????
????
????
????
????