Antônio Muniz Sodré de Aragão

Is your surname Muniz Sodré de Aragão?

Research the Muniz Sodré de Aragão family

Antônio Muniz Sodré de Aragão's Geni Profile

Records for Antônio Muniz Sodré de Aragão

2 Records

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Antônio Muniz Sodré de Aragão

Birthdate:
Birthplace: Salvador, Bahia, Brazil
Death: Died in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
Immediate Family:

Son of Francisco Moniz Ferrão de Aragão and Laurinda Augusta Freire de Carvalho
Husband of Maria Clementina Moniz Sodré
Father of Georgina Moniz de Aragão; Edite Moniz de Aragão; Helena Moniz de Aragão; Egas Carlos Moniz de Aragão; Francisco Moniz de Aragão, Neto and 4 others
Brother of Adelaide Aída Moniz de Aragão and Laurinda Moniz de Aragão

Managed by: Lúcia Pilla
Last Updated:

About Antônio Muniz Sodré de Aragão

Antonio Muniz Sodré de Aragão (Salvador, 13 de junho de 1881 — Rio de Janeiro, 9 de junho de 1940) foi um jurista, jornalista, professor e político brasileiro, ex-governador do estado da Bahia durante a República Velha.

Biografia

Era filho do Vice-almirante Francisco Moniz Ferrão de Aragão e D. Laurinda Augusta Freire Moniz. Estudou na Faculdade de Direito da Bahia, onde bacharelou-se em 1903.

Exerceu o magistério em diversas instituições soteropolitanas de ensino médio e superior, tais como na Escola Normal, Politécnica e na Faculdade de Direito em que se formara e no Rio de Janeiro foi professor de Direito Penal da Faculdade de Direito e no doutorado da Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil.

Foi pai do teórico marxista e escritor Edmundo Moniz, autor de "Canudos: a luta pela terra". (São Paulo: Global, 1981).

Política

Tendo sido eleito deputado federal (1912-1918), e no final da vida senador (1920-1927), parte de sua atuação deu-se também no Rio de Janeiro, ocupando a pasta de Secretário de estado do Interior e Justiça do Estado do Rio, no governo do almirante Protógenes Guimarães.

Na Bahia sua participação política começou como deputado estadual (1909-1912), no grupo chefiado por José Joaquim Seabra, quem efetivamente o fez eleger e a quem sucedeu e também foi sucedido,5 a despeito da forte oposição, capitaneada por Rui Barbosa, Luiz Vianna, Ernesto Simões Filho, Octávio Mangabeira, Bráulio Xavier, Horácio de Matos, entre outros. Junto a Seabra, apoiou a Revolução de 1930 e a Aliança Liberal.

Governo da Bahia

Tomou posse a 29 de março de 1916,2 exercendo o mandato até 29 de março de 1920.

Vivia o Estado forte crise em razão da I Guerra Mundial. As exportações agrícolas – principal esteio da economia local – foram suspensas. Na capital o clima de insatisfação se agravava, redundando na eclosão de várias greves, a maior e mais traumática delas a dos professores municipais de 1918. A oposição de tudo isso se valia, acirrando inda mais as agitações.

Realizações

  • Fundação, pelo historiador Francisco Borges de Barros, do Museu de Arte da Bahia, em 1918 8
  • Apoio à fundação da Academia de Letras da Bahia
  • Conclusão do Quartel de Cavalaria
  • Ala principal do Palácio da Aclamação
  • Reconstrução do Palácio Rio Branco
  • Reconstrução do Hospital dos Alienados
  • Reabertura da Escola Agrícola de São Bento das Lages (atual Escola de Agronomia de Cruz das Almas)
  • Construção do prédio da Biblioteca Pública do Estado da Bahia
  • Incrementou a abertura de estradas de rodagem e de ferro e a navegação.

Imprensa

Iniciou no jornalismo em 1895, na Gazeta de Notícias, tendo ainda atuado no Correio do Brasil e na Gazeta do Povo.

Como jornalista, primou pela publicação de artigos, mormente sobre a Bahia. Escreveu Moniz Sodré, sobre o estado:

"O Estado da Bahia exerceu sempre a mais pronunciada influência na vida do Brasil, destacando-se nas diferentes fases de sua história, não somente pelo valor intelectual e moral dos seus filhos, com os quais se tem irmanado em todo vigor da sua proverbial intrepidez e do seu denonado patriotismo, mas, também, pelas contribuições materiais de suas potentes forças econômicas […]."

Letras

Foi com o seu apoio que Arlindo Fragoso pôde fundar a Academia de Letras da Bahia, em 7 de março de 1917. Moniz ali teve assento na Cadeira número 10, cujo Patrono é Lino Coutinho.

Obras

  • "A Bahia e o seu Papel Histórico na Evolução Política do Brazil". Revista da Bahia, Bahia, nº 21, 15 de outubro de 1922.
  • Estatuto dos Funcionários Públicos, de 1913
  • Curso de Direito Criminal. São Paulo.
  • As três escolas penais: clássica, antropológica e crítica

(estudo comparativo). 7.ed. Livraria Freitas Bastos, 1938. Resumo.

  • A Bahia e os seus governadores na República. Bahia: Imprensa Oficial, 1923

Fonte: WP

view all 12

Antônio Muniz Sodré de Aragão's Timeline

1881
June 13, 1881
Salvador, Bahia, Brazil
1896
May 22, 1896
Age 14
1897
May 2, 1897
Age 15
1898
May 15, 1898
Age 16
1899
August 3, 1899
Age 18
1901
January 25, 1901
Age 19
1903
January 11, 1903
Age 21
1905
July 20, 1905
Age 24
1907
April 6, 1907
Age 25
1910
August 8, 1910
Age 29