Domingos Carlos de Sabóia, vigário de Cascavel

Is your surname de Sabóia?

Research the de Sabóia family

Domingos Carlos de Sabóia, vigário de Cascavel's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Domingos Carlos de Sabóia, vigário de Cascavel

Birthdate:
Birthplace: Aracati, CE, Brasil
Death: Died in Cascavel, CE, Brasil
Immediate Family:

Son of Luís Carlos de Sabóia and Inácia Maria
Partner of NN
Father of Domingos Carlos Gérson de Sabóia
Brother of Benedita Maria de Sabóia and Maria da Conceição de Sabóia

Managed by: Lúcia Pilla
Last Updated:

About Domingos Carlos de Sabóia, vigário de Cascavel

(1)Domingos Carlos de Saboia (Aracati, 2 de junho de 1804 — Cascavel, 24 de junho de 1862) foi sacerdote católico, promotor público e político brasileiro.

Biografia

Era o filho primogênito de Luís Carlos de Saboia, cirurgião licenciado, e de Inácia Maria de Saboia. Pelo lado paterno, era neto do médico Joseph Balthazar Augery (de Saboia), natural do Reino do Piemonte, que imigrara para o Ceará no início do século XVIII e veio a ser o patriarca da família Saboia do Ceará. Tio de Raimundo Teodorico de Castro e Silva, ex-presidente da província do Piauí.

Estudou as primeiras letras e cursou Latim com o padre Gonçalo Mororó. Desde muito jovem manifestou pendor às ideias liberais, tomando parte na grande reunião popular celebrada a 17 de julho de 1821 no Paço da Câmara Municipal para o juramento de adesão à Constituição, que fosse promulgada nas Cortes de Lisboa. Seu nome representa a sexagésima nona assinatura no termo de juramentos.

Resolvendo seguir carreira eclesiástica, recebeu dos pais por escritura pública, lavrada em 25 de junho de 1823, um sítio de terras na Passagem das Pedras, com a casa de morada feita de tijolo e cal, para o patrimônio de sua ordenação. Seu pai faleceu poucos dias depois.

Concluiu os estudos preparatórios e os teológicos no Seminário de Olinda, recebendo a ordenação sacerdotal aos vinte e dois anos, conferida, com despensa de idade, pelo bispo diocesano Tomás Manuel de Noronha e Brito, em dezembro de 1826. De volta ao Ceará, foi nomeado coadjutor do vigário de Aquiraz e passou a residir na povoação de Cascavel.

Nomeado por decreto imperial professor primário da dita povoação, exerceu, em dezembro de 1832, como suplente as funções do juiz de paz daquela localidade. Com a elevação desta a vila, em 17 de outubro de 1833, a câmara municipal, em sessão do dia 19 seguinte, propô-lo para o cargo de promotor público, para o que foi nomeado efetivamente pelo Conselho do Governo da Província, então presidida pelo tenente-coronel Inácio Correia de Vasconcelos. Em 26 de maio do ano seguinte, após prestar juramento à Câmara Municipal, tornou-se vigário encomendado da freguesia de Cascavel em substituição ao padre José da Costa Barros. Antes, porém, desse juramento, em 11 de abril, fora nomeado vigário colado da mesma freguesia pelo Conselho da Província. Confirmada a colação pelo bispo João da Purificação Marques Perdigão, entrou no exercício e no gozo do cargo em 7 de outubro.

Deu início à sua carreira política pouco depois, sendo eleito presidente da Câmara Municipal de Cascavel, em 30 de outubro de 1836, para o quatriênio de 1837-1840. Em 1840, resolveu se transferir para Fortaleza, onde permaneceu por três anos, e depois para Messejana, onde residiu no sítio da Boa Esperança. Regressou a Cascavel em 1850. Na sua ausência, a freguesia ficou sob a responsabilidade do coadjutor Joaquim José Alves Ferreira.

Elegeu-se deputado provincial pelo Partido Liberal sucessivos de 1838 a 1841 e também para o de 1846-1847, foi escolhido para representar o Ceará na Assembleia Nacional, eleito deputado geral para a legislatura de 1848 a 1851, e, logo no início da legislatura, em 5 de maio de 1848, foi nomeado membro da Comissão de Câmaras Municipais, junto com Joaquim Saldanha Marinho e João Coelho Bastos, deputado pela província da Paraíba. No entanto, com a queda do Partido Liberal e a dissolução da Câmara dos Deputados por decreto de 19 de fevereiro de 1849, referendado pelo ministro Visconde de Monte Alegre, o vigário Saboia retirou-se da vida política.

Faleceu aos 58 anos de idade, sendo sepultado no antigo cemitério de sua freguesia, e não na igreja matriz, como era de seu desejo, em vista de proibição por lei provincial. Deixou filhos, dos quais é conhecido por nome Domingos Carlos Gerson de Saboia, que foi promotor público em Aracati, Fortaleza e Baturité, e deputado provincial de 1864 a 1869. Através dele, era trisavô da escritora Raquel de Queirós.

Fonte: WP

(2) Domingos Carlos de Saboia - Padre, n. no Aracati a 2 de junho de 1804 e fez o curso de Latim com o Pe. Gonçalo Mororó. Ordenado em Pernambuco aos 22 anos , ao voltar ao Ceará foi nomeado coadjutor do Vigário de Aquiraz, com residência em Cascavel.

Ao ser instalada a vila de Cascavel a 17 de outubro de 1833, a Câmara Municipal o nomeou Promotor Público. Foi Vigário Colado da freguesia de Cascavel por ato de 11 de abril de 1834 do Conselho do Governo da Província e começou a exercer suas funções a 7 de outubro do mesmo ano; foi, ainda, Deputado Provincial nos biênios de 1838 a 1841, 1846 a 1847 e Deputado Geral na Legislatura de 1848 a 1851.

O Pe. Domingos Carlos de Saboia fal. em Cascavel a 24 de junho de 1862. Padre Domingos deixou filhos.

Segundo nos informou o Dr. Carlos Ernesto Saboia, estudioso e conhecedor da família Saboia como poucos, Raquel de Queiroz escreveu em uma crônica intitulada " Os Padres" dizendo ser descendente do "padre Carlos Saboia ", o que foi confirmado pelo Autor dessas linhas por ocasião da visita que a ilustre escritora fez à Universidade Estadual Vale do Acaraú quando por esta foi homenageada, em setembro de 1995, com honrarias e a inauguração do Bosque Rachel de Queiroz, durante a gestão do Magnífico Reitor José Teodoro Soares.

O Jornal Unitário publicou, em data que não conseguimos apurar: "o padre Domingos Carlos de Saboia foi vigário de Cascavel. Era natural do Aracati. Homem corpulento e de modos estouvados, foi chefe do Partido Liberal daquele pequeno município, lutando com fascínoras que cometiam toda sorte de crimes políticos, sendo que o chefe deles, delegado de polícia potentado Joaquim José Pereira, acabou num punhal, de que se fizera digno pelas suas atrocidades. Saboia deixou filhos."

Com certeza "um destes filhos " foi o Dr Carlos Gérson de Saboia, abaixo citado, e que foi bisavô da ilustre escritora Rachel de Queiroz.

Fonte: http://www.genealogy.com/users/s/a/b/Famlia-saboia-O-Saboya/FILE/0031page.html

view all

Domingos Carlos de Sabóia, vigário de Cascavel's Timeline

1804
June 2, 1804
Aracati, CE, Brasil
1862
June 24, 1862
Age 58
Cascavel, CE, Brasil
????