Duarte da Costa, 2º governador do Brasil (c.1505 - c.1560) MP

‹ Back to da Costa surname

Is your surname da Costa?

Research the da Costa family

Duarte da Costa, 2º governador do Brasil's Geni Profile

Records for Duarte da Costa

781,309 Records

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Death: Died
Occupation: Governador do Brasil 1553-1558
Managed by: Lúcia Pilla
Last Updated:

About Duarte da Costa, 2º governador do Brasil

Duarte da Costa (c.1505 — c.1560) foi um nobre e administrador colonial português. Membro do Conselho Real, foi embaixador na Corte de Carlos I de Espanha. Foi nomeado como segundo governador-geral do Brasil (1553-1558).

Desembarcou na Bahia em 1553, trazendo uma comitiva de 250 pessoas, entre elas o noviço José de Anchieta que seria responsável mais tarde, juntamente com o padre Manuel da Nóbrega, pela fundação do Colégio jesuíta na vila de São Paulo. Governou até 1558.

Importantes acontecimentos marcaram a sua gestão:

  • combateu as tribos indígenas do Recôncavo da Bahia, cujos constantes ataques impediam o progresso das povoações de colonos;
  • organizou entradas no sertão para procurar as desejadas riquezas minerais, pois havia delas abundância nas colônias espanholas na região andina;
  • o incidente entre o primeiro Bispo, D. Pero Fernandes Sardinha e o filho de Duarte da Costa, D. Álvaro da Costa, onde diante das críticas do Bispo à agressividade e aos maus costumes de D. Álvaro, a população de Salvador dividiu-se em duas facções: uma favorável a D. Álvaro e ao governador; outra, favorável ao Bispo. D. Pero Fernandes foi chamado a Portugal para dar explicações, mas o seu navio naufragou no litoral de Alagoas, tendo os sobreviventes sido mortos e devorados pelos Caetés;
  • fundação do Colégio dos jesuítas na vila de São Paulo (25 de janeiro de 1554);
  • invasão da baía de Guanabara, em 1555, pelos franceses, que pretendiam estabelecer uma colônia naquele local (a França Antártica). Como não dispunha de recursos para expulsá-los, o governador nada pôde fazer, sendo preciso esperar a chegada de Mem de Sá.

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Duarte_da_Costa)