Fernando Dias Falcão

public profile

Is your surname Dias Falcão?

Research the Dias Falcão family

Fernando Dias Falcão's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Related Projects

Fernando Dias Falcão

Also Known As: "Fernão Dias Falcam"
Birthdate:
Birthplace: Santana de Parnaíba, São Paulo, Brazil
Death: Died in Sorocaba, São Paulo, Brazil
Immediate Family:

Son of Antonio de Almeida Cabral and Maria Pascoa da Silva Falcão
Husband of Lucrécia Pedroso de Barros
Father of Antonio de Almeida Falcão; José Paes Falcão; Thomé de Lara Falcão; Fernando Dias Falcão; Francisco de Almeida Falcão and 5 others
Brother of Fernando Dias Falcão; Thomazia de Almeida; Isabel de Almeida; Isabel de Almeida; Tomásia de Almeida and 1 other

Managed by: Private User
Last Updated:

About Fernando Dias Falcão

       GENEALOGIA BRASILEIRA  -Estado de São Paulo -

Os TítulosPerdidos

Parágrafo 3º -Falcão3. Fernando Dias Paes Falcão, n. Parnaíba, f. Sorocaba, 1738, bandeirante, em 1721, foi eleito Cabo Maior das minas de Cuiabá, com a finalidade de manter a ordem e proteger a população contra os frequentes ataques dos índios, cc. Lucrécia Pedroso de Barros, n. mesma cidade, f. 1760, Sorocaba, f. do Cap. Mor Tomé de Lara e Almeida e Maria de Almeida Pimentel, com 10 filhos, n. Sorocaba: (1.177, 180, BGB.10.13, DB.149 e SL.2.312).

GPAUL Vol II, pg 312

4-3 Fernando Dias Falcão, natural de Parnaíba, casou-se com Lucrecia Pedroso de Barros, natural da mesma vila, e falecida em 1760 em Sorocaba, f.ª do capitão-mor desta vila Thomé de Lara de Almeida e de sua 1.ª mulher Maria de Almeida Pimentel. Tit. Taques.

Foi Fernando Dias Falcão um prestante cidadão que muito se distinguiu no real serviço; foi capitão de ordenanças em Sorocaba e mais tarde sargento-mor das mesmas; foi juiz ordinário e de órfãos dessa vila por espaço de 9 anos, cargos estes em que deu mostra de sua capacidade. No fim deste tempo em que exerceu esses cargos foi mandado às Minas Gerais por Dom Braz Balthazar da Silveira, governador e capitão-general de S. Paulo, para criar a vila de Pitanguy, cujo arraial, cheio de criminosos turbulentos, era um foco de sedições. Conseguiu por sua prudência sossegar aquela povoação e levantar pelourinho, criando assim a vila de que foi o 1.º juiz ordinário e de órfãos, e provedor da fazenda real, dos defuntos, e ausentes.

Pág. 313 Voltou a Sorocaba para a companhia de sua família com o intento de gozar de seus cabedais e férteis fazendas que cultivava com numerosa escravatura, quando as minas de Cuiabá descobertas por Paschoal Moreira Cabral atraíram a sua atenção. Para lá seguiu, e em 1721 foi eleito cabo maior das novas minas pelos povos que aí já estavam estabelecidos e que sentiam a falta de um governo.

Voltou a S. Paulo em 1723, quando teve notícia de que havia sido nomeado governador e capitão-general daquelas minas Rodrigo Cesar de Menezes, trazendo consigo 942 oitavas de ouro, reais quintos que o mesmo Falcão tinha cobrado.

A pedido do capitão-general Rodrigo Cesar voltou Fernando Dias Falcão para as minas de Cuiabá em 1724 com patente de capitão-mor regente das ditas minas, e, em 1726, quando Rodrigo Cesar lá chegou, foi nomeado provedor da fazenda real e dos reais quintos.

Foi o capitão-mor Fernando Dias Falcão inventariado em 1738 em Sorocaba, e teve os 10 f.ºs seguintes:

5-1 Mestre de campo Antonio de Almeida Falcão 5-2 Capitão José Paes Falcão

5-3 Thomé de Lara Falcão

5-4 Pedro Taques de Almeida

5-5 Fernando Dias Falcão

5-6 Thomazia de Almeida

5-7 Gertrudes de Almeida

5-8 Francisco de Almeida Falcão

5-9 Maria de Almeida

5-10 Raymundo

Fernão Dias Falcão faleceu em 1736 (15), na cidade de Sorocaba, e em seu testamento pede ao filho que deixe de fazer entradas contra os índios, e na hora da morte verbaliza o desejo de deixar determinados bens para os índios aldeados serra acima, na localidade de Santana, hoje Chapada dos Guimarães. O cumprimento deste desejo é suspenso (16) por Antônio Rolim de Moura e só retomado após receber ordens severas para isto.1 (15)Silva Lemes declara Ter sido em 1738, apud TAUNAY (16)Carta de Rolim de Moura a Diogo de Mendoça Corte Real, em 16.1.1755 in Correspondências, vol. II, pg. 21