João Carlos Pardal Mallet (1864 - 1894) MP

public profile

Is your surname Pardal Mallet?

Research the Pardal Mallet family

João Carlos Pardal Mallet's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Birthplace: Bagé, Rio Grande do Sul, Brazil
Death: Died in Caxambu, Minas Gerais, Brazil
Managed by: Carla Assenheimer (C)
Last Updated:

About João Carlos Pardal Mallet

Foi jornalista e romancista brasileiro, patrono da cadeira número 30 da Academia Brasileira de Letras.

Biografia


Era filho do general João Nepomuceno de Medeiros Mallet e neto do marechal Emílio Mallet, patrono da artilharia do Exército, ambos participantes da Guerra do Paraguai.


Pardal Mallet foi um menino precoce, aprendendo a ler sozinho. Antes de completar dez anos, já ensaiava alguns escritos. Foi aluno exemplar, com certa inclinação para idiomas estrangeiros tendo aprendido na infância inglês e francês. Concluiu os estudos iniciais na sua terra natal mudando posteriormente para o Rio para ingressar na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.


Em 1884, interrompeu o curso porque um seu professor, o Visconde de Saboia, o ameaçou reprovar, caso não abandonasse suas ideias republicanas manifestadas em artigos publicados em jornais cariocas. Convicto de suas opiniões, abandonou definitivamente a faculdade para dedicar-se à literatura e ao jornalismo.


Mudou-se, ao que se consta, para São Paulo onde se matriculou na Faculdade de Direito de São Paulo e posteriormente se dirigiu para o Recife em cuja faculdade concluiu o curso. Na ocasião de receber o diploma, negou-se a prestar juramento, alegando ser republicano e nada dever aos mestres, que segundo ele, "jamais lhes ouvira a palavra". A situação desagradável foi contornada graças a Joaquim Nabuco, que o defendeu.


Durante sua estada em Pernambuco publicou os romances Hóspede e Meu Álbum, ambos de 1887. No ano seguinte sai o romance Lar.


De volta ao Rio de Janeiro, passou a frequentar as rodas boêmias tendo como companheiros Olavo Bilac, Raul Pompeia, Coelho Neto, Luís Murat, José do Patrocínio, Artur Azevedo, Émile Rouéde, Aluísio Azevedo e Paula Ney.


Fervoroso adepto das ideias republicanas, tornou-se redator-chefe, em 1888, do jornal A Cidade do Rio, de José do Patrocínio, mas no ano seguinte rompeu com o amigo e protetor alegando divergências políticas. Em 1889 teve sério litígio com Olavo Bilac, terminando a questão num duelo em que saiu ferido na barriga.[1] Entretanto, ambos depois se reconciliaram.


Com o advento da República, fez dura oposição ao governo do Marechal Floriano, fazendo parte da Revolta da Armada, acabando preso e desterrado em Tabatinga, no Amazonas em 1893. Decretada a anistia, voltou para o Rio de Janeiro. Antes dos 30 anos, morreu de tuberculose em Caxambu, onde tentara se recuperar inutilmente.


Hóspede e Lar foram reeditados em um só volume pela Academia Brasileira de Letras em 2008.


Obras

  • 1887 Meu Álbum, contos
  • 1887 Hóspede, romance
  • 1888 Lar, romance, Rio de Janeiro, Typ. Central
  • 1889 A pandilha, costumes gaúchos
  • 1890 O Esqueleto, romance, (com Olavo Bilac)
  • 1894 Pelo divórcio, panfleto

Fonte: Wikipédia

view all

João Carlos Pardal Mallet's Timeline

1864
December 9, 1864
Bagé, Rio Grande do Sul, Brazil
1894
November 24, 1894
Age 29
Caxambu, Minas Gerais, Brazil