Almirante Luís Felipe Saldanha da Gama

public profile

Is your surname Saldanha da Gama?

Research the Saldanha da Gama family

Almirante Luís Felipe Saldanha da Gama's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Related Projects

Luís Felipe Saldanha da Gama

Birthdate:
Birthplace: Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Brasil
Death: Died in Santana do Livramento, Rio Grande do Sul, Brazil
Cause of death: morto em batalha campal
Immediate Family:

Son of José de Saldanha da Gama and Maria Carolina Reis Barroso
Husband of Emilia Josefina de Mello
Brother of Ana Carolina de Saldanha da Gama, 2ª condessa de Aljezur; José de Saldanha da Gama, Dr.; Sebastião José de Saldanha da Gama; Leonor Maria de Saldanha da Gama; João Saldanha da Gama, Dr. and 4 others

Managed by: Carla Assenheimer (C)
Last Updated:

About Almirante Luís Felipe Saldanha da Gama

LUÍS FILIPE DE SALDANHA DA GAMA - Nasceu em Campos dos Goytacazes, no dia 07 de abril de 1846. Bacharel em Letras, concluiu o curso da Academia da Marinha, onde ingressou aos 17 anos de idade, sempre alcançando postos superiores, até o de contra-almirante. Representou o Brasil na Exposição da Filadélfia, em 1867; na de Viena, em 1873; em Buenos Aires, em 1882, (na época era uma honraria). Recebeu condecorações da Campanha Oriental, da Guerra do Paraguai; da Rendição de Uruguaiana e do Mérito Militar. Sua morte ocorreu no dia 24 de junho de 1895, em Campo de Osório. Foi morto por um golpe de lança, aplicado por Salvador Tambeiro, um oriental comandado pelo caudilho João Francisco.

HISTÓRICO - Um exemplo digno de ser seguido e herói reconhecido como o ilustre filho de Campos. Segundo Rui Barbosa, Saldanha da Gama: “Herói dos heróis! O homem mais completo e o caráter mais extraordinário que já conheci nesta terra!...” Nascido em 7 de Abril de 1846, Luís Filipe de Saldanha da Gama, filho de Dom José e dona Maria Carolina, era o nono dos onze filhos do casal. Seu pai resolve deixar a cidade, onde moravam na Beira-Rio para viver na planície, em lugar afastado, e vai residir na Fazenda do Colégio. Em 1853, Dom José resolve se transferir com a família para a côrte no Rio de Janeiro, onde, em 1859, aos treze anos de idade éfoi matriculado no Colégio D. Pedro II. Logo chega o momento das férias, Luís retorna à Fazenda do Colégio lá permanecendo sob os cuidados dos colonos de Dom José. Já mocinho, vive aqueles dias na companhia carinhosa da gente simples da fazenda. As férias terminam e Luís volta para o Colégio D. Pedro II. Aos quinze anos Luís Filipe manifesta o desejo de ser homem do mar, tornar-se um grande marinheiro. Ninguém o impede e ele veste o cobiçado uniforme azul e branco. E assim um soldado se prepara para servir à pátria. Entrega-se de corpo e alma aos estudos. Não percebeu o tempo passar e sobe, degrau por degrau, até receber o título de aspirante naval. Aos 19 anos é dotado de sentimento e surge aos seus olhos a imagem de uma bonita mulher, Emília Josefina. Faz-se noivo e casa-se. Em meio às batalhas, regressa ao Rio, em 14 de Fevereiro de 1869, como o 1º tenente mais coberto de glórias. É promovido capitão tenente. Demonstra ser um revolucionário restaurador. Saldanha da Gama morre em batalha em 24 de Junho de 1895.

----------------------------------------

A Morte de um Almirante a Cavalo (Por Carlos Fonttes)

De 1861 a 1864, o jovem Aspirante a Guarda-Marinho LUIZ PHILIPPE DE SALDANHA DA GAMA, cumpriu seu “embarque obrigatório” no vapor Ipiranga e nas Corvetas “Dona Januária” e “Baiana”, tendo seu batismo de fogo, como Porta-Bandeira no desembarque em Paissandu, (Uruguai). Mais tarde “embarcou” na canhoneira “Taquari”, estacionada na Flotilha do Alto Uruguai, de Itaqui, onde permaneceu por 19 meses. Saldanha da Gama, com a idade de 20 anos, quando esteve servindo nesse Arsenal, apaixona-se por uma jovem que conheceu na cidade e com ela veio a consorciar-se. Chamava-se EMILIA COIMBRA DE MELLO. Um fato interessante nos vem a lume sobre o seu casamento. Seu pai, grande fidalgo da Corte, Dom José, jamais aceitara o casamento do filho e para ser concretizada essa união, teria de haver sua permissão. Então o jovem marinheiro vem a forjar uma carta-permissão do pai e apresentou à famílias da jovem, quando então, a 28 de janeiro de 1867, realizava o seu enlace matrimonial. Porém, mesmo a grande distância a vigilância paterna não esmorecia e seu pai, jogando o prestígio que gozava na Corte, sabedor do que o filho fizera, consegue sua transferência para o Teatro de Operações de Guerra. Com apenas oito dias de casado, recebe ordens de se apresentar às Forças Navais que operavam no Rio Paraguai. Quatro longos anos de guerra fez com que Saldanha da Gama trocasse raras correspondências com sua esposa, e quando a família dela foi morar em Santiago do Boqueirão, dificultou mais seus contatos. Ao término da Guerra do Paraguai ele retorna ao Rio de Janeiro. Devemos lembrar que ele tinha, além das medalhas da Campanha Oriental, da Guerra do Paraguai, do Mérito Militar, possuía Medalha da Rendição em Uruguaiana, prova de que ele esteve presente em nossa cidade, naquela data. Após uma longa conferência com seu pai, no Rio de Janeiro, não mais se interessou pelo casamento, passando a ser, doravante, um “Ermitão Naval”, tendo os navios como refúgio e a Marinha como religião. Saldanha da Gama ainda vem a se destacar no cenário Nacional, quando, aderindo a Revolução Constitucionalista de 1893, retorna ao Rio Grande do Sul, como Comandante em Chefe desse movimento. Uma de suas pretensões nesse movimento, seria em tomar a cidade de Itaqui e a Flotilha do Alto Uruguai, a fim de obter adesão das demais guarnições. Seu plano, porém, falhou. LUIZ PHILIPPE DE SALDANHA DA GAMA, vem a perecer no combate do campo Osório, proximidades de Santana do Livramento, quando na madrugada de 24 de junho de 1895 foi atacado pelas forças de Uruguaiana (Gen. Hipólito Antonio Ribeiro) e de outra, pela gente aderida do “Hiena do Cati”, (Cel. João Francisco). Foi morto pelas mãos de Salvador Sena Tambeiro, um oriental de João Francisco. Segundo o que diz a tradução oral, as últimas palavras do Almirante foram: “Respeite-me. Sou o Almirante Saldanha” e a resposta de seu algoz foi: “Esses são os que eu gosto” e atacou-o com um pontaço de lança, degolou-o e depois mutilou todo. Arrancou-lhe as orelhas e dentes. Antes de morrer, Saldanha teria dito: “Basta, miserável”. Seu corpo foi somente encontrado dias depois no cemitério de Rivera. Morre em combate campal esse grande Almirante que singrou o mar da vida em busca de seus ideais.

view all

Almirante Luís Felipe Saldanha da Gama's Timeline

1846
April 7, 1846
Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Brasil
1895
June 24, 1895
Age 49
Santana do Livramento, Rio Grande do Sul, Brazil
????