Maria Benedita Bormann da Câmara Lima (1852 - 1895) MP

public profile

Is your surname Bormann da Câmara Lima?

Research the Bormann da Câmara Lima family

Maria Benedita Bormann da Câmara Lima's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Birthplace: Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil
Death: Died in Rio, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
Cause of death: úlcera no estômago
Managed by: Carla Assenheimer (C)
Last Updated:

About Maria Benedita Bormann da Câmara Lima

Maria Benedita Câmara Bormann (Porto Alegre, 25 de novembro de 1853 — Rio de Janeiro, julho de 1895), conhecida pelo pseudônimo Délia, foi uma cronista, romancista, contista e jornalista brasileira.

Biografia

Nascida numa família de prestígio social e político, Maria Benedita se mudou com dez anos para o Rio de Janeiro. Morou num sobrado que existe até os dias de hoje na Rua do Rezende, 48, onde veio a falecer. Aprendeu francês e inglês e foi estudiosa da literatura de seu momento. Pintava, tocava piano e cantava com bela voz de mezzo-soprano. Casou-se em 1872 com José Bernardino Bormann, seu tio materno, herói da Guerra do Paraguai, que se tornou ministro da Guerra em 1909 e foi escritor e ensaísta.

Délia foi o pseudônimo adotado por Maria em sua carreira literária durante as derradeiras décadas do século XIX. Extremamente talentosa, alegre e irônica, publicou além de crônicas, folhetins e pequenos contos nos principais veículos informativos do Rio de Janeiro, entre 1880 e 1895, entre eles O Sorriso e O Cruzeiro, este último durante um ano. Após, colaborou com a Gazeta da Tarde, de José do Patrocínio, e a Gazeta de Notícias, de Ferreira Araújo, entre outros.

Colaborou na mesma coluna do jornal O País, alternando com escritores de renome como Coelho Netto, Valentim Magalhães e outros. Foi contemporânea de redação de Aluísio Azevedo, Joaquim Nabuco, Carlos de Laet e da poetisa portuguesa Maria Amália Vaz de Carvalho. Escreveu em estilo refinado e elegante e, para os críticos, foi chocante e erótica.

Obras

  • 1883 Aurélia, romance e novela;
  • 1884 Uma Vítima, contos;
  • 1890 Lésbia, romance e novela;
  • 1893 Celeste, romance e novela;
  • 1894 Angelina, romance e novela

Fonte: WP

===========================

Biografia

  • 1852 - Nasce em Porto Alegre a 25 de novembro, filha de Patricio Augusto da Câmara Lima, conferente da Alfândega da Corte, e de Maria Luísa Câmara Lima, naturais daquela cidade. Eram seus avós paternos João Hipólito de Lima e Dona Benedicta Corrêa da Câmara, filha do primeiro Visconde de Pelotas. Eram avós maternos Guilherme Bormann, natural de Hanover e Ricarda Manoela de Maia Bormann.

1*852 - É batizada no dia 31 de dezembro, na Freguesia de Nossa Senhora Madre de Deus. Recebe o nome da avó paterna, Maria Benedicta e tem por padrinhos o avô materno, Guilherme Bormann e D. Clara Ricarda Maia.

  • 1862 - Muda-se com a família para a Corte.
  • 1872 - Pede licença à Câmara Eclesiástica do Rio de Janeiro para casar-se com o Capitão José Bernardino de Bormann (1844-1916), natural do Rio Grande do Sul, seu tio materno. O casamento é realizado em 7 de dezembro de 1872 na Igreja Matriz de Santa Rita, na Corte, às dezoito horas.
  • 1881 - Publica “Magdalena” em O Sorriso.
  • 1882 - Publica “Sonho”, “Estrelas Cadentes”, “Estela” em Cruzeiro.
  • 1883 - Publica “Aurélia’, “Carta à Sindol”, “Perfil”, “Bella Napoli”, na Gazeta da Tarde.
  • 1884 - Publica inúmeros contos breves e “Uma Vítima” na Gazeta da Tarde; publica em livro Uma Victima, Duas Irmãs, Magdalena.
  • 1885 - Recebe críticas favoráveis ao livro, especialmente em O Paiz.
  • 1886 - Publica “Angelina”, folhetim, em O Paiz.
  • 1887 - Publica o folhetim “Uma história antiga”, em O Paiz.
  • 1889 - Publica contos breves em A Família, jornal de Josephina Alvares de Azevedo .
  • 1890 - Publica “A estátua de neve”, folhetim, em O Paiz; - publica o romance Lesbia, editado por Evaristo Rodrigues da Costa.
  • 1892 - Escreve na nova coluna à esquerda da primeira página de O Paiz .
  • 1893 - Publica Celeste pela editora Magalhães & Companhia.
  • 1894 - Celeste é publicado como folhetim em A Notícia.
  • 1895 - Em maio, publica “Mylady” em A Notícia.
  • 1895 - Morre às três da manhã do dia 23 de julho. Estava com 42 anos e faleceu devido a uma úlcera no estômago. Foi sepultada no cemitério São Francisco Xavier, no dia 3 de julho. Não deixou descendentes.

FONTE: http://www.editoramulheres.com.br/autor14.html

view all

Maria Benedita Bormann da Câmara Lima's Timeline

1852
November 25, 1852
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil
1895
July 23, 1895
Age 42
Rio, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
????