Maria José Vilas-Boas Siqueira, Baronesa do Bonfim (1862 - 1953)

public profile

View Maria José Vilas-Boas Siqueira, Baronesa do Bonfim's complete profile:

  • See if you are related to Maria José Vilas-Boas Siqueira, Baronesa do Bonfim
  • Request to view Maria José Vilas-Boas Siqueira, Baronesa do Bonfim's family tree

Share

Related Projects

Birthplace: Angustura, Minas Gerais, Brazil
Death: Died in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
Managed by: Lúcia Pilla
Last Updated:

About Maria José Vilas-Boas Siqueira, Baronesa do Bonfim

Maria José Vilas Boas de Siqueira Mesquita nasceu na fazenda da Glória, em Angustura (MG), no dia 28 de janeiro de 1862, filha de Josefina Vilas Boas de Siqueira, de uma família de fazendeiros, e do rico cafeicultor Antônio Antunes Siqueira. Estudou no Colégio de Mariana, uma das poucas instituições de ensino, na época, destinadas às filhas da elite brasileira.

Aos 18 anos casou-se com José Jerônimo de Mesquita, filho de um dos maiores comerciantes de pedras preciosas do Império, o marquês de Bonfim. Ao casar-se, José Jerônimo recebeu de seu pai a fazenda Paraíso, em Leopoldina (MG), onde passou a residir com Maria José.

Em 1886, às vésperas da Abolição, decidiram libertar 300 escravos de suas propriedades. Em reconhecimento, o imperador Pedro II concedeu-lhes os títulos de barão e baronesa. Assim, o casal ingressou na nobreza brasileira.

Viúva aos 34 anos, passou a dividir-se entre longas temporadas na Europa (França e Suíça) e suas propriedades no Brasil. Do casamento haviam nascido cinco filhos: Jerônima Mesquita*, Francisca de Paula Lynch, Jerônimo Mesquita, Maria José e Antônio José de Mesquita e Bonfim.

No Brasil, alternava seu tempo entre a fazenda da família e estadas na cidade do Rio de Janeiro, em sua residência no bairro do Flamengo. Quando estava no Rio, promovia um chá em sua casa todas as quintas-feiras. A estas reuniões compareciam membros destacados da elite carioca e personalidades estrangeiras em visita ao Brasil, como madame Chian Kai Chek e madame Curie. A pianista Guiomar Novaes*, sua amiga pessoal, costumava também hospedar-se em sua casa quando vinha ao Rio de Janeiro.

Renomada anfitriã, a baronesa aboliu as bebidas alcoólicas dos encontros que promovia. Também seus filhos, especialmente Jerônima, engajaram-se em campanhas contra o álcool, promovendo a formação de entidades de auxílio a dependentes de bebida.

Muito católica, combinava sua faceta de anfitriã com uma intensa atividade de assistência social. É versão corrente entre seus descendentes que teria vendido um valioso diamante cor-de-rosa, presente de seu sogro, para adquirir o terreno onde foi construído o sanatório São Miguel, em Correias, região serrana fluminense, destinado a crianças e mulheres tuberculosas*. Além da fundação desse sanatório, a baronesa também usou seu prestígio junto aos membros da elite carioca a fim de levantar recursos para concluir a obra e sustentar seu funcionamento. Participou do grupo das Damas da Cruz Verde, responsável pela criação da maternidade Pró-Matre, no Rio de Janeiro, e de outras obras de assistência social, como a Cruzada Nacional contra a Tuberculose e o Serviço de Obras Sociais (SOS). Também foi fundadora e membro ativo da Federação de Bandeirantes do Brasil.

De seus filhos, Jerônima foi a que participou mais intensamente das atividades da mãe, compartilhando seus princípios. Em contrapartida, a baronesa contribuiu com seu prestígio social e suas relações influentes para o sucesso das iniciativas de Jerônima e Bertha Lutz* no campo do movimento feminista. Comparecia aos grandes eventos promovidos pela Federação Brasileira pelo Progresso Feminino* (FBPF) ou recepcionava celebridades convidadas pela Federação a integrar os congressos feministas realizados no Rio de Janeiro (1922, 1931 e 1936).

Faleceu no Rio de Janeiro, em sua residência, a 18 de outubro de 1953.

Fontes: Jornal do Commercio, 20.10.1953; Última Hora, 19.10.1 953; Entrevista com Adèle Lynch (neta da baronesa e sobrinha de Jerônima) concedida a Teresa Novaes em 13.1 .1999.

Publicação: Dicionário Mulheres do Brasil – Schuma Schumaher e Érico Vital Brazil - Jorge Zahar Editor, RJ.

Fonte: http://www.sfreinobreza.com/Nobm01.htm

view all

Maria José Vilas-Boas Siqueira, Baronesa do Bonfim's Timeline

1862
January 28, 1862
Angustura, Minas Gerais, Brazil
1879
July 29, 1879
Age 17
1880
April 30, 1880
Age 18
Leopoldina, Minas Gerais, Brazil
1881
May 31, 1881
Age 19
Leopoldina, Minas Gerais, Brazil
1887
1887
Age 24
1888
1888
Age 25
1893
1893
Age 30
1953
October 18, 1953
Age 91
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil