Pedro de Lemos, abade de São Martinho de Ranhados

Is your surname de Lemos?

Research the de Lemos family

Pedro de Lemos, abade de São Martinho de Ranhados's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Related Projects

Pedro de Lemos, abade de São Martinho de Ranhados

Birthdate:
Death: (Date and location unknown)
Immediate Family:

Son of Fernão de Lemos, alcaide-mór de Elvas and Grimanesa Silva
Husband of Violante Dias Zagalo
Partner of Isabel Fernandes
Father of Henrique de Lemos, cónego da Sé de Viseu; Fernão de Lemos and Guiomar de Lemos
Brother of Paulo de Lemos and Henrique de Lemos

Managed by: Lúcia Pilla
Last Updated:

About Pedro de Lemos, abade de São Martinho de Ranhados

Abade de São Martinho de Ranhados.

Pedro de Lemos, nascido cerca 1457 e falecido depois de 1531, dado por Alão como filho de Fernão de Lemos e Grimaneza da Silva mas que, pela cronologia, devia ser filho do 2º casamento dele com Júlia Martins de Vilalobos. Consta como capelão fidalgo da Casa

D. Manuel I com 1.000 reais de moradia na lista de 1518, sendo capelão do rei pelo menos desde 1498.

Foi depois capelão fidalgo da Casa de D. João III (confirmado a 1.2.1526). Foi cónego e chantre (18.11.1531 - G.XIX,5,13) da Sé de Lamego, abade de S. Martinho de Ranhados e visitador do convento de Stª Cruz de Coimbra por D. Manuel (1517).

A 18.11.1531 renunciou ao cargo de chantre da Sé de Lamego, onde era cónego.

A 10.7.1507 já era capelão do rei quando teve quitação de todo o dinheiro que recebeu das moradias e recebimentos do 1% das rendas da Guiné e Índias e dos quartos que os comendadores da Ordem de Cristo eram obrigados por bula papal.

E em 1506 recebia uma tença de 78.000 reais, que lhe dera a rainha D. Leonor. A 11.2.1504 D. Manuel I mandou o almoxarife ou recebedor das sisas dos vinhos de Lisboa entregar a Pedro de Lemos, recebedor do um por cento, 10.766 reais e meio que tanto importou na renda por que andava arrendado o dito almoxarifado.

A 13.11.1504 D. Manuel I mandou os almoxarifes da Alfândega e sisa dos vinhos de Lisboa entregarem a Pedro de Lemos o dinheiro que restar dos assentamentos.

A 6.2.1505 o mesmo rei mandou o almoxarife da sisa dos panos da cidade de Lisboa pagar a Pedro de Lemos, recebedor do um por cento, a quantia de 40.000 reais.

De 21.7.1509 ficaram uns apontamentos que fez Pedro de Lemos sobre o governo do Hospital Real de Todos-os-Santos, de todas as suas rendas, direitos e privilégios.

A 26.9.1515 D. Manuel I deu provisão para Rui Leite, seu tesoureiro, pagar a Pedro de Lemos, seu capelão, 2.376 reais de sua vestiaria.

E já a 3.11.1498 D. Manuel I confirmou a Pedro de Lemos, seu capelão, a mercê da igreja de S. Francisco de Ponte de Sor, no bispado da Guarda. Pedro de Lemos teve filhos naturais, muito provavelmente em Isabel Fernandes, solteira, moradora em Lisboa, que a 30.3.1496 teve perdão real por ter sido manceba de Pedro de Lemos, clérigo de missa, por querer viver honestamente daqui em diante, tendo pago 500 reais para a arca da piedade.

in, http://www.soveral.info/casadatrofa/trofa2.htm