Rafael de Oliveira, o Moço

Is your surname de Oliveira?

Research the de Oliveira family

Rafael de Oliveira, o Moço's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

About Rafael de Oliveira, o Moço

Genealogia Paulistana Título Hortas Parte 1 - pág. 314

1-1 Maria Ribeiro casou-se com o

capitão Raphael de Oliveira (o moço)

f.º de outro de igual nome (o velho) e de

sua 1.ª mulher Paula Fernandes.

Foi este capitão Raphael de Oliveira (o moço) irmão inteiro de 

Pedro de Oliveira que casou com Francisca Cordeiro, em Tit. Cordeiros Paivas com geração,

irmão de '''Estevão de Oliveira''', 

de Manoel de Oliveira e de Margarida, falecidos solteiros; irmão também de Anna Oliveira que casou com Gaspar Maciel Aranh a. Faleceu Maria Ribeiro em 1638 em S. Paulo, e o viúvo passou a 2.ªs núpcias em 1639 em S. Paulo com Maria Cordeiro, f.ª de Domingos Cordeiro e de Antonia de Paiva. Com geração em Tit. Cordeiros Paivas

http://www.projetocompartilhar.org/SAESPp/rafaeldeoliveira1654.htm'''

Rafael de Oliveira, o moço, possuía fazenda na periferia de Santana de Parnaíba, e casas em São Paulo. Foi nessas duas jurisdições que correram os autos de seu inventário, aberto em São Paulo aos 24-7-1654.


Nota: inventários, neste site, de - Catarina Dorta, sogra e madrasta de Rafael de Oliveira, o moço, onde se vê que em 21-4-1626 ele já estava casado com Maria Ribeiro. (SAESP vol. 3º)

- Maria Ribeiro, primeira mulher do inventariado (SAESP vol 11º)


RAFAEL DE OLIVEIRA, o moço Inventário


SAESP - vol. 46, fls. 277 a 284 Autos do Inventário: 24-7-1654 Local: Vila de São Paulo, em pousadas onde vivia o defunto Rafael de oliveira Juiz dos Órfãos: Dom Simão de Toledo Pizza Escrivão dos Órfãos: Luis dandrade Avaliadores: Francisco Preto e Heitor Fernandes Carnr.º Declarante: Salvador de Oliveira, irmão do defunto.


Nesta vila de São Paulo em virtude de uma carta precatória que veio do Juiz Ordinário da vila de Santa Ana da Parnaíva.


fls. 281: Carta Precatória - Data: 22-7-1654 De: Ant.º Pedrozo de Alvarenga juiz ordinário e dos órfãos da vila de Santa Ana da Parnaíba e seu termo faço saber em como sendo informado de que Rafael de Oliveira era morto no seu sitio e fazenda. Para: em especial ao Juiz dos Órfãos da Vila de São Paulo, Dom Simão de Toledo Pizza motivo: avaliação de todos os bens e fazenda assim móveis como de raiz. Dada neste limite de Jundiaí, termo da vila de Santa Ana da Parnaíva.


Façam-se as avaliações de que esta precatória faz menção separam --- melhor para dos bens---- dos órfãos filhos de ---- de que o defunto era curador visto carregar sobre ele as ditas legitimas ou demais partes fiança a assegurarem neste juízo donde competem. S.Paulo 24 de julho de 1654 - Toledo.


Avaliações, casas desta vila: - dois lanços de casas que partem de uma banda com casas de Hanrique da Cunha e da outra com casas de Domingos da Silva. - outras casas na mesma rua de São Bento defronte das donde vivia o defunto, - outras casas de dois lanços na mesma rua que de uma banda partem com casas do defunto João ------- de Oliveira e da outra com rua de Pascoal Leite Paes, - umas casas velhas na rua de Santo Antonio o velho que de uma banda partem com casas de João Martins de Eredea e da outra com casas de Antonio de Madureira - outras casas na rua que foi de Manoel Mourato Coelho que de uma banda partem com casas de Antonio de Caldas ---- e de outra com casas do mesmo Manoel Mourato. - seis braças e meia de chãos defronte da cadeia que de uma banda partem com casas de Francisco Lopes Benevides e da outra com casas de Balthezar de Godoy.


Dividas que deve esta fazenda.


------ Masiel Aranha -------- feitas e acabadas dos bens que nesta vila se acharam mandou o juiz dos órfãos Dom Simão de Toledo Pizza os tresladasse com o teor do precatório e tudo entregasse as partes (...).