Start My Family Tree Welcome to Geni, home of the world's largest family tree.
Join Geni to explore your genealogy and family history in the World's Largest Family Tree.

Project Tags

view all

Profiles

  • Menotti Del Picchia (1892 - 1988)
    Terceiro ocupante da Cadeira 28, eleito em 1º de abril de 1943, na sucessão de Xavier Marques e recebido pelo Acadêmico Cassiano Ricardo em 20 de dezembro de 1943. Recebeu o Acad&#...
  • Tarsila do Amaral (1886 - 1973)
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Tarsila do Amaral (Capivari, 1 de setembro de 1886 — São Paulo, 17 de janeiro de 1973) foi uma pintora e desenhista brasileira e u...
  • Raul Bopp (1898 - 1984)
    Raul Bopp (Santa Maria RS 1898 - Rio de Janeiro RJ 1984). Poeta, cronista, jornalista. Nascido numa pequena vila de Santa Maria, muda-se para Tupanciretã RS, com 1 ano de idade. Aos 16, inic...
  • Olívia Guedes (1871 - 1934)
    Olívia Guedes Penteado (Campinas, 12 de março de 1872 — São Paulo, 9 de junho de 1934) foi uma grande incentivadora do modernismo no Brasil e amiga de artistas-chave do mo...
  • Di Cavalcanti (1897 - 1976)
    Foi um pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista brasileiro. Biografia Di Cavalcanti nasceu em 06 de setembro de 1897, filho de Frederico Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo e Rosalia d...

A Semana de Arte Moderna, também chamada de Semana de 22, ocorreu em São Paulo no ano de 1922, nos dias 13 a 17 de fevereiro, no Teatro Municipal da cidade. Cada dia da semana foi dedicado a um tema: respectivamente, pintura e escultura, poesia, literatura e música.

O presidente do estado de São Paulo à época, Washington Luís, apoiou o movimento, especialmente por meio de René Thiollier, que solicitou patrocínio para trazer os artistas do Rio de Janeiro Plínio Salgado e Menotti Del Pichia, membros de seu partido, o Partido Republicano Paulista.

A Semana de Arte Moderna representou uma verdadeira renovação de linguagem, na busca de experimentação, na liberdade criadora da ruptura com o passado e até corporal, pois a arte passou então da vanguarda, para o modernismo. O evento marcou época ao apresentar novas ideias e conceitos artísticos, como a poesia através da declamação, que antes era só escrita; a música por meio de concertos, que antes só havia cantores sem acompanhamento de orquestras sinfônicas; e a arte plástica exibida em telas, esculturas e maquetes de arquitetura, com desenhos arrojados e modernos. O adjetivo "novo" passou a ser marcado em todas estas manifestações que propunha algo no mínimo curioso e de interesse.

Participantes da Semana de 22

Artes Plásticas

Literatura

Música

Arquitetura

  • Antônio Garcia Moya (arquiteto)
  • Georg Przyrembel (arquiteto)

Outras áreas

Como um dos organizadores a Semana contou com o intelectual Rubens Borba de Moraes que, entretanto, por estar doente, dela não participou. Na ocasião da Semana de Arte Moderna, Tarsila do Amaral, considerada um dos grandes pilares do modernismo brasileiro, se achava em Paris e, por esse motivo, também não participou do evento.

Muitos dos idealizadores do evento eram quatrocentões.

(Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.)