Arnaldo Mendes Norton de Matos, Reitor da Universidade de Coimbra

Is your surname de Matos?

Research the de Matos family

Arnaldo Mendes Norton de Matos, Reitor da Universidade de Coimbra's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Arnaldo Mendes Norton de Matos, Reitor da Universidade de Coimbra

Birthdate:
Birthplace: Ponte de Lima, Viana do Castelo District, Reino de Portugal
Death: December 17, 1923 (60)
Lisboa, Lisboa, Portugal
Immediate Family:

Son of Tomás Mendes Norton and Emília da Conceição de Matos Prego e Sousa Mendes
Husband of Maria Luísa de Castro e Almeida
Father of Arnaldo Castro e Almeida Norton de Matos; Arnaldo Mendes Norton de Matos and Luís da Costa Cabral Norton de Matos
Brother of José Maria Norton de Matos; Tomás Mendes Norton de Matos Prego and Rita Norton de Matos

Managed by: Eduardo Cardoso Mascarenhas de L...
Last Updated:

About Arnaldo Mendes Norton de Matos, Reitor da Universidade de Coimbra

Arnaldo Mendes Norton de Matos (Ponte de Lima, 11 de Fevereiro de 1863 — Lisboa, 17 de Dezembro de 1923) foi um magistrado judicial com uma longa carreira no Ultramar nomeadamente como Procurador da Coroa e Fazenda em Goa. Posteriormente foi professor de Direito, presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, juiz conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça e reitor da Universidade de Coimbra (1916-1918).[1] Foi irmão do general José Maria Norton de Matos e cunhado do escritor Eugénio de Castro.

Nasceu a 11 de Fevereiro de 1863, em Ponte de Lima. Formou-se em Direito na Universidade de Coimbra (1886). Fez carreira na magistratura, ingressando no quadro do Ultramar. Foi juiz de Direito de 1.ª Instância em São Tomé (1894), procurador da Coroa e Fazenda junto da Relação de Goa (1895) e, novamente, juiz de Direito no Barlavento, Cabo Verde (1901). Mais tarde, ascendeu a juiz da Relação de Moçambique (1905), tendo sido transferido para a Relação de Nova Goa (1906). Foi nomeado presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, por Decreto de 19 de Julho de 1919. Tomou posse no mesmo dia. Terminou a sua carreira como juiz conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça (1922). Exerceu ainda o cargo de reitor da Universidade de Coimbra (1916-1918). Integrou, como vogal, a secção judicial do Conselho Colonial (1911). Publicou uma colectânea de pareceres jurídicos. Faleceu em Lisboa, a 17 de Dezembro de 1923.

in,http://www.trl.mj.pt/presidentes/presidenteslista.php

Na estrada que liga Ponte de Lima a Braga, dentro de uma quinta murada, surge o bonito Solar do Baganheiro. Mandado construir no Séc. XVII pelo Conêgo Diogo Corrêa, cavaleiro da Ordem de Malta, foi ampliado no Séc. XVIII, conservando-se ainda nos descendentes do fundador. Com jardins, pomares envolventes e uma vida agrícola bastante intensa esta quinta proporciona-lhe uma vista magnifica sobre o vale.

A Casa do Baganheiro, situada na freguesia da Queijada, concelho de Ponte de Lima, chamou-se inicialmente "Casa de Cima da Vila do Couto da Queijada", remontando a sua construção aos meados do Séc. XVII, tendo sido seus primeiros proprietários, o casal José Corrêa e D. Maria Borges de Abreu e Lima. Aquele curioso nome da casa, liga-se certamente e, em primeiro lugar, à implantação em relação à Vila de Ponte de Lima; em segundo, pôr as suas terras, fazerem parte duma Comenda da Ordem da Ordem de Malta, legada a José Corrêa, por seu tio, o Cónego Diogo Corrêa, da Sé de Lamego e oriundo dos Corrêas da Casa do Landeiro, em Nine.

Só nos finais do Séc. XVIII é que surgiu a designação de Casa do Baganheiro, talvez pelo facto de na propriedade se cultivar muito linho, cuja semente tinha a designação regional de "Baganho". Com uma designação ou outra, a casa esteve desde a sua fundação na posse dos ascendentes dos actuais proprietários; em meados do Séc. passado terá atingido o máximo da sua área agrícola, quando a sua única proprietária, D. Joaquina Corrêa Martins de Carvalho casou com o Dr. Manuel de Matos Prègo e Sousa, Senhor da Casa do Bárrio, em Moreira por sua vez abastado proprietário. Juntaram-se assim duas casas agrícolas; e deste casamento, houve apenas uma única herdeira, D. Emília Corrêa de Matos Prègo e Sousa, que veio a casar com outro grande proprietário. Tomaz Mendes Norton, Fidalgo Cavaleiro da Casa Real, Senhor de Refoios. Deste casal surgiram 11 filhos e dessa forma, as suas propriedades foram muito divididas.

Ficou a Casa do Baganheiro, para o filho primogénito, o Dr. Arnaldo Mendes Norton de Matos Prègo, do concelho de sua Magestade. Do seu casamento com D. Maria Luiza de Castro Freire de Vasconcelos e Almeida, surgiram 6 filhos tendo a casa ficado em co-propriedade vários anos, administrada pelo primogénito o Dr. Arnaldo de Castro e Almeida Mendes Norton de Matos. Por consenso entre os proprietários e com a ideia de evitar a divisão, a casa, que não as propriedades agrícolas, ficou para o único irmão sem descendência, o Dr. Luís de Castro e Almeida Norton de Matos, diplomata e escritor, que tomou o compromisso de fazer testamento, a favor do neto mais velho Varão, do seu irmão primogénito, o acima referido (Dr. Arnaldo C. e A. M. Norton de Matos), disposição que foi rigorosamente cumprida e consumada, na pessoa de Luís da Costa Cabral Norton de Matos, tendo seu pai como usufrutuário.

in, Forum, geneall

view all

Arnaldo Mendes Norton de Matos, Reitor da Universidade de Coimbra's Timeline

1863
February 11, 1863
Ponte de Lima, Viana do Castelo District, Reino de Portugal
February 11, 1863
Ponte de Lima, Viana do Castelo, Portugal
1897
October 1, 1897
1923
December 17, 1923
Age 60
Lisboa, Lisboa, Portugal
????