Júlia Maria da Caridade, uma das 3 Ilhoas

Is your surname da Caridade?

Research the da Caridade family

Júlia Maria da Caridade, uma das 3 Ilhoas's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

About Júlia Maria da Caridade, uma das 3 Ilhoas

Batismo em documento anexo

Júlia Maria DA CARIDADE B: 8 Feb 1706/07

Horta, Faial Island, Azores 711- Júlia Maria da Caridade. Uma das lendárias "Três Ilhoas". N. a 08-FEV-1707 em N. Sª das Angústias, Distrito de Horta, Ilha do Faial, Arquipélago dos Açores, Portugal, onde foi bat. em 12-FEV-1707. Foi-lhe concedida, em 22-ABR-1767, uma sesmaria junto da Ponte do Rio Grande, Comarca do Rio das Mortes (MG). Consta ter sido Júlia Maria quem mandou construir a Capela de Nossa Senhora da Conceição do Porto do Saco, em Carrancas (MG). Fal. entre 1777 e 1787 em São João del Rei (MG

Figura 3. Capela do Saco, Carrancas, Minas Gerais, Brasil. Foto © Celso do Lago Paiva, 20 jul. 1996.

Nesta capela ou em capela anteriormente edificada no mesmo local, foram batizados quase todos os filhos de Miguel Lopes da Silva e muitos de seus netos, bisnetos e agregados; ele mesmo foi ali sepultado em 1793.

   Tamb�m ali foram inumados, na capela ou no cemit�rio que a circunda, muitos dos descendentes de Manoel Lopes da Silva e dos descendentes das Tr�s Ilhoas, especialmente dos de Julia Maria da Caridade, conforme documenta��o abundante.

Trata-se de tesouro hist�rico em estado de conserva��o prec�rio que deve ser conhecido e defendido por todos os membros brasileiros da fam�lia Pereira do Lago.

Essa capela pode estar ligada � origem aos prim�rdios do n�cleo original da povoa��o de Carrancas, no in�cio do s�culo XVIII. " Júlia Maria da Caridade nasceu em 8 de fevereiro de 1707, às 7 horas da tarde, e foi batizada em 13 de fevereiro do mesmo ano, pelo Cura Antônio Fernandes, tendo por padrinhos Manuel Gonçalves, mareante (homem do mar, navegante, marinheiro), e sua mulher Antônia de Graça, e sendo testemunhas Manuel Corrêa, mareante, e João Furtado de Mendonça, Procurador do Número, todos moradores na mesma Freguesia. Julia Maria já era falecida em 1787, porque, nesse ano, foi celebrado em Campanha o batizado de seu neto Manuel, constando serem falecidos os avós maternos. Casou-se em 29 de junho de 1724, em São João del Rey, MG, com o seu conterrâneo Diogo Garcia, batizado aos 13 de março de 1690, tendo falecido após 23 de março de 1762, pois nessa data assinou seu testamento, documento divulgado pelo Dr. Ricardo Gunbleton Daunt, no trabalho intitulado " O Capitão Diogo Garcia da Cruz". Ambos nasceram na Freguesia de Nossa Senhora das Angústias, Vila de Horta, Ilha do Fayal, Bispado de Angra, Arquipélago dos Açores, Portugal. Júlia Maria veio para o Brasil aproximadamente em 1723 em companhia de sua mãe e de suas 2 irmãs e foram morar na casa de seu futuro marido Diogo Garcia, que nessa ocasião já morava no Rio das Mortes Pequenas, Freguesia de São João del Rey, MG, local onde se casaram em 1724. O casal teve 14 filhos, porém, segundo o testamento de Diogo Garcia ele relaciona somente 13 filhos, omitido Francisca Teresa de Jesus, por razões que desconheço. Foram eles: Ana Maria do Nascimento (filha mais velha) batizada em 11 de dezembro de 1724, Helena Maria de Jesus, Maria do Espírito Santo, José Garcia, Júlia Maria do Nascimento, Diogo Garcia Filho, Teresa Maria de Jesus, Catarina Maria do Espírito Santo, João Luis Gonçalves, Capitão, Madalena Maria Garcia, Padre Manuel Gonçalves Corrêa, Antônio, Francisca Teresa de Jesus (não mencionada no seu testamento - página. 6, do segundo volume, primeira parte - As Três Ilhoas) e Mateus Luís Garcia, filho mais novo, nascido aproximadamente em 1750 e casado em 11 de junho de 1771.


Fonte: Arquivo Histórico do IPHAN de São João del Rei e livro "As Três Ilhoas".

àcerca (Português (Portugal))

As Três Ilhoas foram três irmãs açorianas que imigraram para o Brasil, onde aportaram por volta de 1723, fixando residência em Minas Gerais, onde se tornaram troncos de antigas, tradicionais e importantes famílias. A constatação definitiva dos nomes das famosas Ilhoas deve-se à pesquisa do genealogista de Ouro Fino, José Guimarães. Pela ordem cronológica, chamavam-se: 1ª) Antônia da Graça (nascida em 1687), que deu origem, dentre outros, aos: Junqueiras e Meireles; 2ª) Júlia Maria da Caridade (nascida em 1707), que deu origem, dentre outros, aos: Garcias, Carvalhos, Nogueiras, Vilelas, Monteiros, Reis, e Figueiredos; 3ª) Helena Maria de Jesus (nascida em 1710), que deu origem aos Rezendes. Eram naturais da Freguesia de Nossa Senhora das Angústias, na Vila da Horta, na Ilha do Faial, no arquipélago dos Açores. Filhas de Manuel Gonçalves Correia – “O Bórgão”, e de Maria Nunes, que já viúva, passou ao Brasil com as três filhas, por volta de 1723. A genealogista Marta Amato defende a tese de que tenham vindo com destino certo, tendo aqui encontrado Diogo Garcia, conterrâneo e aparentado, por ter uma sobrinha, Ana Maria Silveira, casada com Antônio Nunes, irmão das “Três Ilhoas”. Antônia da Graça é a única das Ilhoas que passou ao Brasil já casada, com Manuel Gonçalves da Fonseca. As outras duas, casaram-se no Brasil. Júlia Maria da Caridade, casou-se a 29 de junho de 1724, em São João del Rei, com Diogo Garcia, e a terceira, Helena Maria de Jesus, casou-se a 3 de outubro, de 1726, em Prados, com João de Resende Costa. Júlia faleceu em 1777, sendo enterrada na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo, em São Joao Del Rei ( MG ). Sendo netas paternas de João Gonçalves e Inês Correia, netas maternas de João Lourenço (também dito João Nunes) e de Madalena Jorge. Por João Nunes, eram bisnetas de Manuel Lourenço e de Águeda Nunes; por Madalena Jorge, bisnetas de Gaspar Jorge e de Catarina Jorge. Tiveram mais dois irmãos: José Nunes batizado a 14 de setembro de 1689 e falecido a 8 de agosto de 1711 Antônio Nunes batizado a 12 de julho de 1692, que foi piloto e permaneceu na Ilha do Faial, onde se casou com Ana Maria da Silveira, filha de Pascoal Silveira e de Maria da Ressureição, esta irmã de Diogo Garcia. A história das ilhoas parecer confirmar a história do atual município de Madre de Deus de Minas. Onde é a sede municipal foi, segundo apresenta, doado pelas Ilhoas e descendentes. Inúmeros autores citam as “Três Ilhoas” como “célebres, famosas e lendárias”. Tais predicados têm sua origem na notória e descendência que deixaram em Minas Gerais e em outros estados, onde a maioria das famílias importantes encontravam em seu tronco uma ou mais destas açorianas, que passaram a ser citadas com grande respeito e admiração, ao ponto de que “dizer-se descendente das Ilhoas pode ser considerado a descrição de uma genealogia completa”. A Capela de Nossa Senhora da Conceição do Porto do Saco foi construído no início do séc. XVIII a mando de Julia Maria da Caridade, proprietária da antiga Fazenda do Saco e devota de Nossa Senhora da Conceição, havendo quem diga que a capela é dedicada a uma imagem de Nossa Senhora encontrada nas margens do Rio Grande, que passa pela fazenda. A capela fica no distrito de Porto do Saco, que já foi importante canal comercial de São João del Rei antes da ferrovia. Proprietária da antiga Fazenda do Saco, no distrito de Porto do Saco/MG.

view all 20

Júlia Maria da Caridade, uma das 3 Ilhoas's Timeline

1707
February 8, 1707
Horta, Faial, Azores, Portugal
February 12, 1707
Horta, Faial, Região Autônoma dos Açores, Portugal
1720
1720
Age 12
São João del Rei, State of Minas Gerais, Brazil
1724
December 1724
Age 17
Minas Gerais, Brazil
1729
March 1729
Age 22
Minas Gerais, Brazil
1733
1733
Age 25
Minas Gerais, Brazil
1737
March 17, 1737
Age 30
Minas Gerais, Brazil
1738
November 20, 1738
Age 31
Minas Gerais, Brazil
1738
Age 30
Minas Gerais, Brazil