José Augusto Gomes de Abreu

Is your surname Gomes de Abreu?

Research the Gomes de Abreu family

José Augusto Gomes de Abreu's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

José Augusto Gomes de Abreu

Birthdate:
Birthplace: Melgaço, Viana do Castelo, Portugal
Death: Santarém, Santarém, PA, Brazil
Immediate Family:

Son of José Manoel Gomes de Abreu and Joaquina de Jesus
Husband of Lucinda Rosa Gomes de Abreu and Maria Augusta Gomes de Abreu
Father of Augusta Abreu da Silva Frazão; Joaquina de Abreu Soares; Agripina de Abreu Mattos; Ubaldo Gomes de Abreu and Zulmira de Abreu
Brother of Francisco Manoel Gomes de Abreu; Balbina da Glória Gomes de Abreu; Emilia da Graça Gomes de Abreu; Antonio Maria Gomes de Abreu and Leopoldina Amelia Gomes de Abreu

Occupation: Negociante.
Managed by: Huberto de Albuquerque Coelho Netto
Last Updated:

About José Augusto Gomes de Abreu

José Augusto Gomes de Abreu nasceu no dia 30 de junho de 1837, na cidade de Melgaço, Portugal, filho de José Manoel Gomes de Abreu e de Joaquina de Jesus, neto paterno de Tomaz José Gomes de Abreu e de Constança Teresa Araújo Lima, neto materno de José Cardoso dos Santos e de Joana Maria da Purificação. Foi batizado na igreja de SMP a 2 de julho de 1837. Foram padrinhos: Martinho Moura e Maria Benedita Gomes de Abreu.

Seguiu para o Brasil jovem, com cerca de 18 anos, para "fazer fortuna", e aparentemente não manteve mais qualquer contato com sua família portuguesa.

O livro "O Meu Livro das Gerações Melgacenses", do historiador Augusto César Esteves, na página 96 do primeiro volume, lê-se: "[...] Também partiu para o Brasil em busca da fortuna e na cidade de Belém de Pará faleceu depois de 1865, pois neste mesmo ano ainda figurou entre os vendedores da tal casa da Rua Direita, embora se encontrasse em terras de Santa Cruz. De resto, à herança deste melgacense, se habilitou em 1912 sua sobrinha Maria Deolinda Gomes de Abreu, solteira, residente no Porto, por o mesmo estar ausente em parte incerta do Brasil há mais de 20 anos. Por isso, solteiro, sem geração [...]".

Segundo o escritor e historiador português Joaquim Agostinho da Rocha, a "família Gomes de Abreu era fidalga, mas relativamente pobre, por isso alguns deles embarcavam para o Brasil em busca de melhor vida. Depois de estarem nesse imenso país era difícil seguir-lhe os passos, a não ser que dessem notícias aos parentes portugueses, o que raro acontecia".

De acordo com notas e notícias de jormais da época José Augusto Gomes de Abreu estava em Belém do Pará em 1859, quando vendeu uma taverna que possuia. É provável que já estivesse no Brasil desde 1855. Entre 1864 e 1866 ele parte com destino a Santarém, também no estado do Pará, onde casa com Lucinda Rosa em1866. Santarém, fundada na foz do Rio Tapajós em 1848, no local onde havia originariamente uma aldeia de missionários jesuítas, copiou o nome da cidade portuguesa e, na época, a cidade passava por grande desenvolvimento. José Augusto deve ter divisado uma maior oportunidade de fazer fortuna na cidade.

Sua filha Augusta nasceu em 1867 e a segunda, Joaquina, nasceu em 1869.


Em 1874 José Augusto foi eleito para o cargo de "Cob.:", provavelmente a abreviação de Cobridor Externo, da Loja Maçônica União e Fidelidade, de Santarém.

Em 18 de dezembro de 1874 o jornal O Globo publicou, na sua edição n. 136, página 3, coluna Necrologio, o convite de missa às 8h30min do mesmo dia na igreja de São Francisco de Paula, no Rio de Janeiro, por alma de Domingos José Gomes de Abreu, mandada celebrar por José Augusto Gomes de Abreu e Manoel Joaquim de Faria. Domingos José poderia ser um parente de José Augusto.

Segundo informações da família, ele era tipógrafo e produzia fogos de artifício utilizados pelos barcos que navegavam no Rio Tapajós para avisar a chegada em cada porto. A partir de 1882 começaram a ser publicados anúncios em jornais de Santarém e de Belém de um vinho de caju fabricado por José Augusto Gomes de Abreu em Santarém.

Em 25 de fevereiro de 1885 um jornal de Belém publicou um anúncio da morte, em Santarém, de Lucinda Rosa Gomes de Abreu, mencionando que se tratava da esposa de José Agusto Gomes de Abreu. Neste mesmo ano, José Augusto Gomes de Abreu, como participante da delegação brasileira, ganhou a medalha de prata com o seu vinho de caju na Exposição Universal de Antuérpia.

Antes da morte da sua primeira mulher, Lucinda Rosa, José Augusto Gomes de Abreu já vivia com a sua segunda mulher, Maria Augusta, com a qual teve três filhos: Zulmira, Ubaldo e Agripina.

Nesta época, entre 1850 e 1900, várias são as pessoas de sobrenome Gomes de Abreu relacionadas nos jornais de Belém do Pará e do Rio de Janeiro. Inclusive um homônimo de José Augusto no Rio de Janeiro que pode se tratar do próprio. Não se sabe se havia parentesco dele com algum dessas pessoas de mesmo sobrenome.

view all

José Augusto Gomes de Abreu's Timeline

1837
June 30, 1837
Melgaço, Viana do Castelo, Portugal
1867
April 3, 1867
Santarém, Santarém, PA, Brazil
1869
April 4, 1869
Santarém, Santarém, Pará, Brazil
1886
December 18, 1886
Santarém, Santarém, Pará, Brazil
????
????
????
Santarém, Santarém, PA, Brazil