Romulus / Quirinus, founder of Rome

public profile

Romulus / Quirinus, founder of Rome's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Romulus / Quirinus, founder of Rome

Birthdate: (54)
Birthplace: Alba Longa, Italy
Death: -717 (49-57)
Rome, Italy
Immediate Family:

Son of Ares and Rhea Silvia, Princess of Alba Longa
Husband of Hersilia
Father of Romulus of Rome; Aollius; Abillus Rome; Prima de Roma and Avillius de Roma
Brother of Remus, Founder of Rome
Half brother of Silvia of Rome; Dragon; Phlegyas -, King of the Lapiths; Eurytion Demigod; Amazones and 25 others

Occupation: 1st King of Rome
Managed by: Private User
Last Updated:

About Romulus / Quirinus, founder of Rome

Romulus /ˈrɒmjʉləs/ and Remus /ˈriːməs/ were the twin brothers and main characters of Rome's foundation myth. (The pronunciation in English is different from the Latin original Rōmulus and Rĕmus). Their mother was Rhea Silvia, daughter of Numitor, king of Alba Longa. Before their conception, Numitor's brother Amulius seized power, killed Numitor's male heirs and forced Rhea Silvia to become a Vestal Virgin, sworn to chastity. Rhea Silvia conceived the twins by the god Mars, or by the demi-god Hercules. Once the twins were born, Amulius had them abandoned to die in the Tiber river. They were saved by a series of miraculous interventions: the river carried them to safety, a she-wolf (in Latin, lupa) found and suckled them, and a woodpecker fed them. A shepherd and his wife found them and fostered them to manhood as simple shepherds. The twins, still ignorant of their true origins, proved to be natural leaders. Each acquired many followers. When they discovered the truth of their birth, they killed Amulius and restored Numitor to his throne. Rather than wait to inherit Alba Longa, they chose to found a new city.

While Romulus wanted to found the new city on the Palatine Hill, Remus preferred the Aventine Hill. They agreed to determine the site through augury but when each claimed the results in his own favor, they quarreled and Remus was killed. Romulus founded the new city, named it Rome, after himself, and created its first legions and senate. The new city grew rapidly, swelled by landless refugees; as most of these were male and unmarried, Romulus arranged the abduction of women from the neighboring Sabines. The ensuing war ended with the joining of Sabines and Romans as one Roman people. Thanks to divine favour and Romulus's inspired leadership, Rome became a dominant force, but Romulus himself became increasingly autocratic, and disappeared or died in mysterious circumstances. In later forms of the myth, he ascended to heaven and was identified with Quirinus, the divine personification of the Roman people.

The legend as a whole encapsulates Rome's ideas of itself, its origins and moral values. For modern scholarship, it remains one of the most complex and problematic of all foundation myths, particularly Remus's death. Ancient historians had no doubt that Romulus gave his name to the city. Most modern historians believe his name a back-formation from the name Rome; the basis for Remus's name and role remain subjects of ancient and modern speculation. The myth was fully developed into something like an "official", chronological version in the Late Republican and early Imperial era; Roman historians dated the city's foundation to between 758 and 728 BC, and Plutarch reckoned the twins' birth year as c. 27/28 March 771 BC. An earlier tradition that gave Romulus a distant ancestor in the semi-divine Trojan prince Aeneas was further embellished, and Romulus was made the direct ancestor of Rome's first Imperial dynasty. Possible historical bases for the broad mythological narrative remain unclear and disputed. The image of the she-wolf suckling the divinely fathered twins became an iconic representation of the city and its founding legend, making Romulus and Remus preeminent among the feral children of ancient mythography.

Sources

àcerca (Português (Portugal))

Rômulo e Remo eram filhos gêmeos de Reia Sílvia, filha de Numitor, rei de Alba Longa que havia sido derrubado por seu irmão Amúlio. Para garantir o trono, Amúlio assassina os descendentes varões de Numitor e obriga sua sobrinha Reia Sílvia a tornar-se vestal (sacerdotisa virgem, consagrada a deusa Vesta), no entanto, esta engravida do deus Marte e desta união foram gerados os irmãos Rômulo e Remo (nasceram em março de 771 a.C. ). Como punição Amúlio prende Reia em um calabouço e manda jogar seus filhos no rio Tigre. Como um milagre, o cesto onde estavam as crianças acaba atolando em uma das margens do rio no sopé dos montes Palatino e Capitolino, em uma região conhecida como Cermalus, onde são encontrados por uma loba que os amamenta; próximo às crianças estava um pica-pau, ave sagrada para os latinos e para o deus Marte, que os protege. Tempos depois, um pastor de ovelhas chamado Fáustulo encontra os meninos próximo ao pé da Figueira Ruminal (Ficus Ruminalis), na entrada de uma caverna chamada Lupercal. Ele os recolhe e leva-os para sua casa onde são criadas por sua mulher Aca Laurência.

Rômulo e Remo crescem junto dos pastores da região praticando caça, corrida e exercícios físicos; saqueavam as caravanas que passavam pela região a procura de espólio. Em um dos assaltos, Remo é capturado e levado para Alba Longa. Fáustulo, então, revela a Rômulo a história de sua origem. Este parte para a cidade de seus antepassados liberta seu irmão, mata Amúlio, devolve Numitor ao trono e dá a sua mão todas as honrarias que lhe fossem devidas. Percebendo que não teriam futuro na cidade, os gêmeos decidem partir da cidade junto com todos os indesejáveis para então fundarem uma nova cidade no local onde foram abandonados. Rômulo queria chamá-la Roma e edificá-la no Palatino, enquanto Remo desejava nomeá-la Remora e fundá-la sobre o Aventino. Como forma de decidir foi estabelecido que deveria-se indicar, através dos auspícios, quem seria escolhido para dar o nome à nova cidade e reinar depois da fundação. Tal gerou divergência entre os espectadores o que gerou uma acirrada discussão entre os irmãos que terminou com a morte de Remo. Uma versão alternativa afirma que, para surpreender o irmão, Remo teria escalado o recém-construído pomério quadrangular da cidade e, tomado em fúria, Rômulo teria assassinado-o. Remo foi sepultado em um região ao sul do Aventino, conhecida como Remoria, sendo também comemorado em 9 de maio a festa chamada Remuria (ou Lemuria) em sua homenagem.

Após a fundação da urbe (cidade), Rômulo convidou criminosos, escravos fugidos e auxiliares para darem auxílio na nova cidade, chegando assim a povoar cinco das sete colinas de Roma. Para conseguir esposas a seus cidadãos, Rômulo convidou os sabinos a um festival, onde raptou as mulheres sabinas e as levou a Roma. Após a conseguinte guerra com os sabinos, Rômulo uniu os sabinos e os romanos sob o governo de uma diarquia junto com o líder sabino Tito Tácio.

Rômulo dividiu a população de Roma entre homens fortes e aqueles não aptos para combater. Os combatentes constituíram as primeiras legiões romanas; embora o resto tenha se convertido em plebeus de Roma, Rômulo selecionou 100 dos homens de maior linhagem como senadores. Estes homens foram chamados pais e seus descendentes seriam os patrícios, a nobreza romana. Após a união entre romanos e sabinos, Rômulo agregou outros 100 homens ao senado. Também, sob o reinado de Rômulo, se estabeleceu a instituição dos augúrios como parte da religião romana, assim como a Comitia Curiata. Rômulo dividiu o povo de Roma em três tribos: romanos (ramnes), sabinos (titios) e o resto (luceres). Cada tribo elegia dez coviriae (cúrias, comunidade de varões), fornecendo também 100 cavaleiros e 10 centúrias de infantes cada uma, formando assim a primeira legião de 300 ginetes e 3000 infantes. Ocasionalmente podia convocar uma segunda legião em caso de urgência.

Depois de 38 anos de reinado, Rômulo havia travado numerosas guerras, estendendo a influência de Roma por todo o Lácio e outras áreas circundantes. Pronto seria recordado o primeiro grande conquistador, assim como um dos homens mais devotos, da história de Roma. Após sua morte aos 54 anos de idade, foi divinizado como o deus da guerra Quirino, honrado não só como um dos três deuses principais de Roma, sendo também como a própria cidade de Roma divinizada.

view all

Romulus / Quirinus, founder of Rome's Timeline

-771
March -771
Alba Longa, Italy
-740
-740
Age 30
-740
Age 30
-717
-717
Age 53
Rome, Italy
????
????
????