Antonio de Saldanha

Is your surname de Saldanha?

Research the de Saldanha family

Antonio de Saldanha's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

About Antonio de Saldanha

Saldanha, António de – capitão-mor de uma das esquadras de 1503, depois capitão-mor da armada de 1517, e capitão da armada de Nuno da Cunha (1528). Este fidalgo da Casa Real (Registo, I, p. 6.) de origem castelhana era filho de Diogo de Saldanha e irmão de João de Saldanha, vedor da casa da rainha D. Maria. Em 1516, tomou o hábito de Cristo (Cf. Cavaleiros da Ordem de Cristo, p. 21.). Realizou, no total cinco viagens ao Índico, algumas das quais como simples passageiro, tendo servido um total de onze anos no Oriente. Participou em duas expedições ao norte de Áf rica e terminou a sua carreira ao serviço da Coroa Portuguesa, em 1553, quando representava D. João III, na corte de Carlos V, na Alemanha. A sua missão no Oriente consistia no comando da armada do estreito do Mar Vermelho. Em 1504, integrou-se na armada capitaneada por Lopo Soares de Albergaria e participou nas operações militares no Malabar, tendo carregado o seu navio em Coulão. Nos princípios de 1505, regressou ao Reino onde chegou em Julho de 1505. No ano seguinte, estava de regresso ao Índico, mas quando aportou em Moçambique recebeu a capitania do navio de João da Nova para que este pudesse acompanhar Afonso de Albuquerque na expedição à Arábia. Em 1507, estava assim de novo no Reino. Em 1509, voltou a partir desta vez com a nomeação da capitania de Sofala, cargo que assumiu mal chegou a Moçambique por morte do anterior capitão Vasco Gomes de Abreu. Em 1512, participou, ao lado de Afonso de Albuquerque, no assalto ao passo de Benasterim. No principiou de 1513, voltou para o Reino, para partir logo em 1515, desta feita para Marrocos, como capitão da armada à foz do rio Cebu. Em 1517, encetou nova viagem para o Índico, nomeado capitão-mor do mar Arábico. Em 1521, estava em Portugal, onde permaneceu durante sete anos. Em Julho de de 1527, integrou o Conselho Régio. Em 1528, partiu na sua última viagem ao Oriente como capitão da armada de Nuno da Cunha (1528). Em 1530, o governador nomeou-o capitão de Cochim, mas no final desse ano encontramo-lo como capitão da armada a Diu. Mais tarde, foi capitão de uma ar mada na costa de Cambaia. Entre 1531 e 1532, participou na construção da fortaleza de Chale e, em Fevereiro de 1532, voltou de novo à boca do Mar Vermelho. Em 1532, deixou definitivamente a Índia como capitão da torna-viagem. A 1 de Abril de 1535, comandou a armada de auxílio a Carlos V, de ataque a Tunes. Em 1552, foi nomeado embaixador ao imperador Carlos V que, então, se encontrava na Alemanha. Faleceu no ano seguinte.

BIBLIOGRAFIA: Alexandre Lobato, António de Saldanha. His times and his achievements, Lisboa, Centro de Estudos Históricos Ultramarinos, 1962. João Paulo Oliveira e Costa, “Sadanha, António de”, in DHDP, vol. II, pp. 961-964.

(Teresa Lacerda, Os Capitães das Armadas da Índia no reinado de D. Manuel I – uma avaliação social, Dissertação Mestrado, UNL, p.244).

______________

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_de_Saldanha

António de Saldanha foi um capitão militar (castelhano-português), navegador e administrador colonial português do século XVI.

Biografia Foi o primeiro europeu a ancorar na baía da Mesa e a subir à montanha da Mesa, na atual cidade do Cabo. Ia na Armada de 1503 de Afonso de Albuquerque, que partiu com três naus em 6 de Abril (primeira parte da Armada); a segunda, também de três naus, partiu oito dias mais tarde (14 de Abril); e a terceira, constituída também ela de três naus, partiu em Maio desse mesmo ano, indo António de Saldanha por capitão-mor. Essa parte da armada de 1503 era destinada ao estreito do mar Vermelho. António de Saldanha, que foi pai do vice-rei Aires de Saldanha, também foi capitão-mor de Moçambique de 1509 a 1512. Em 9 de Abril de 1517 foi por capitão-mor de uma Armada de seis naus para a Índia; os outros capitães eram Pêro Quaresma, Manuel de Lacerda, D. Cristóvão ou (D. Tristão) de Meneses, Rafael Catanho, Fernão de Alcáçova, e Afonso Henriques de Sepúlveda. Diz Teresa Lacerda que António de Saldanha, era veterano da Índia, e "partiu para o Oriente com o importante cargo de capitão-mor do mar da Índia, tendo como principal missão «andar em armada» na costa da Arábia e nas portas do mar Vermelho". Posteriormente, foi embaixador de Portugal na corte de Carlos V de Espanha.