Is your surname Taques de Almeida Pais Leme?

Research the Taques de Almeida Pais Leme family

Pedro Taques's Geni Profile

Share your family tree and photos with the people you know and love

  • Build your family tree online
  • Share photos and videos
  • Smart Matching™ technology
  • Free!

Share

Pedro Taques de Almeida Pais Leme

Birthdate: (62)
Birthplace: São Paulo, São Paulo, Brazil
Death: March 3, 1777 (62)
Immediate Family:

Son of Bartolomeu Pais de Abreu and Leonor de Siqueira Pais
Husband of Maria Eufrásia de Castro Lomba; Ana Felizarda Xavier e Silva and Inácia Maria de Anunciação e Silva
Father of Joaquim Antonio Antonio Taques; Balduino Abagaro de Almeida Taques; Emilia Flavia da Conceição Taques and Catarina Angélica da Purificação Taques
Brother of Teresa Pais de Silva

Managed by: Guilherme Rollo Fernandes
Last Updated:

About Pedro Taques

5-6 Sargento-mor Pedro Taques de Almeida Paes Leme, natural de S. Paulo e aí batizado em 1714, foi sargento-mor do regimento da nobreza de S. Paulo em 1737, e guarda-mor das minas de ouro da mesma cidade e seu termo em 1763. Tendo passado às minas de Goiás, foi encarregado pelo governador e capitão-general dom Marcos de Noronha para criar a intendência, com missão para a cobrança da real captação no arraial do Pilar, compreendendo o de Crixás, no ano de 1750, sem mais algum outro oficial que o ajudasse na dita intendência. Neste cargo deu à real fazenda em dois anos um aumento de mais de 20.000 oitavas. No mesmo tempo serviu em ambos os arraiais, do Pilar e Crixás, de provedor comissário das fazendas dos defuntos e ausentes. Em 1771 morava em S. Paulo, onde vivia de suas lavouras, e tinha 58 anos de idade. Foi inventariado em 1777(1). Foi casado em 1735 a 1.ª vez em S. Paulo com Maria Eufrasia de Castro Lomba, natural de S. Paulo, f.ª de Gregorio de Castro Esteves, natural de Viana do Minho, capitão do regimento de cavalaria das minas de Vila Boa de Goiás por dom Luiz de Mascarenhas, e de Catharina Velloso, natural de S. Paulo, irmã do Rev.mo Manoel Velloso Vieira, f.°s do capitão Manoel Velloso e de Ignacia Vieira. Tit. Macieis. Faleceu esta 1.ª mulher em 1757 e foi sepultada na capela dos terceiros de S. Francisco da cidade de S. Paulo. Segunda vez casou-se no Rio de Janeiro em 1761 com Anna Felizarda Xavier cia Silva, † em 1762, sem geração. Terceira vez casou-se em 1768 em S. Paulo com Ignacia Maria da Annunciação e Silva, f.ª de Vicente Ferreira da Silva e de Apollonia Maria Vieira, n. p. de Manoel Ferreira e de Joanna Pereira, n. m. de Manoel Vieira e de Joanna Rodrigues.

http://www.arvore.net.br/Paulistana/Lemes_6.htm

  • pag. 474

Pedro Taques de Almeida Paes Leme Nasceu na cidade de São Paulo em fins de junho de 1714, provavelmente a 29, como registra um de seus biógrafos. Filho de Bartolomeu Paes de Abreu, juiz ordinário em São Paulo, e de Leonor de Siqueira Paes.

Do pouco que se sabe sobre sua infância, temos que freqüentou o colégio dos jesuítas em São Paulo, obtendo o grau de mestre em artes e, o que era raro na época, aprendendo o idioma francês.

Sua vida profissional começa em 1737, quando assume o posto de sargento-mor do regimento da nobreza de sua cidade. Paralelamente à vida militar, empenhava-se em pesquisas históricas e genealógicas, e em 1742 estudou a história dos Buenos.

Foi sargento-mor até 1748, quando lançou o título dos Arrudas Botelhos e, ao mesmo tempo, voltou-se para a atividade de mineração nas lavras de Goiás, em busca de melhores rendas. Foi então nomeado pelo Conde dos Arcos, em 1750, escrivão da Intendência Comissária e Guardamoria do distrito de Pilar, servindo também como provedor dos defuntos e ausentes, além de tabelião.

No começo de 1754 retorna a São Paulo, em boa situação financeira, e escreve sobre a capitania de São Vicente, defendendo os direitos do conde de Vimieiro. Parte, então, para Lisboa para entregar o documento de defesa, em 1755, e o terremoto que ali se deu logo após a sua chegada, arrasa a cidade e faz com que se percam seus apontamentos, e seus bens. Sem seus trabalhos sem nenhum bem material, ainda o acomete uma doença grave que o leva ao leito pro vários meses, sendo tratado por um casal amigo.

Sua estada em Lisboa faz com que Taques conheça e se aproxime de D. Antonio Caetano de Souza, o ilustre autor da História Genealógica da Casa Real portuguesa. Consegue, então, em 1757, ser nomeado tesoureiro-mor da Bula da Cruzada, nas capitanias de São Paulo, Goiás e Mato Grosso. Retoma suas pesquisas históricas e genealógicas.

Em 1763 acumula a função de guarda-mor das minas de ouro de São Paulo. Sabe-se de trabalhos seus dessa época de auge econômico e financeiro, todos desaparecidos: História de São Paulo, Discurso cronológicos dos descobridores do Brasil e elementos de história de Piratininga.

Questionado em sua administração, Pedro Taques é subitamente afastado de suas funções, tem seus bens seqüestrados e é intimado a restituir a quantia calculada como prejuízo à Fazenda Real. Pobre e doente, a partir de 1770 os tempos lhe são de desdita.

Contudo, em 1774 o destino lhe sorriu com a herança de umas das irmãs, e ele reuniu o que pôde e partiu para Lisboa, a fim de atender chamado do Conde de Vimieiro, que precisava de seus préstimos de genealogista. Ainda tentou pleitear algum benefício em Lisboa, mas seus requerimentos não andavam, ao contrário da paralisia, que, célere, avançava.

Com a saúde arruinada, retorna ao Brasil em agosto de 1776, chegando a Santos no fim do ano. Morre na mais extrema miséria em 03 de março de 1777, em São Paulo.

Seus manuscritos nunca foram publicados enquanto vivia. Sua Nobiliarquia paulistana, histórica e genealógica teve perdida mais de cem títulos, salvando-se apenas um terço. E mesmo assim trata-se de monumental obra, onde “se recolhem os mananciais de toda a história do Brasil meridional desde os primeiros tempos”.

Deixou os trabalhos:

História da Capitania de São Vicente – 1772 Informações sobre as minas de São Paulo – 1772 Informações sobre o estados das aldeias de índios da capitania de São Paulo – 1772 e sua principal obra

Nobiliarquia paulistana, histórica e genealógica – escrita a partir de 1742, mas somente publicada muito tempo depois de sua morte pelo Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Esta terça parte que pôde ser recuperada e publicada é bastante para que Pedro Taques seja considerado pelos historiadores figura de capital importância entre os precursores da História do Brasil.

http://www.cbg.org.br/novo/colegio/historia/patronos/pedro-taques-leme/.

Pedro Taques de Almeida Pais Leme (São Paulo, junho de 1714 — 3 de março de 1777) foi um militar, genealogista, intelectual e historiador brasileiro.

Era filho de Bartolomeu Pais e Leonor de Siqueira, sobrinho-neto de Fernão Dias Paes Leme e tetraneto de Brás Cubas. Sargento-mor, foi transferido para as minas de Goiás, onde foi encarregado de criar e organizar a cobrança de impostos, como a capitação, os quintos do ouro e a derrama. De volta a São Paulo, foi nomeado guarda-mor das minas de ouro. Viveu no contexto do ciclo do ouro do Brasil colonial (1530-1815).

Dentre suas obras, destacam-se a Nobiliarquia Paulistana Histórica e Genealógica (em três volumes) e a História da Capitania de São Vicente, referências obrigatórias em seus respectivos temas.

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Taques_de_Almeida_Pais_Leme)

view all

Pedro Taques's Timeline

1714
June 1714
São Paulo, São Paulo, Brazil
1768
January 25, 1768
Age 53
São Paulo, State of São Paulo, Brazil
1777
March 3, 1777
Age 62
????
????
????