Start My Family Tree Welcome to Geni, home of the world's largest family tree.
Join Geni to explore your genealogy and family history in the World's Largest Family Tree.

Imigrantes de Portugal continental aos Açores

« Back to Projects Dashboard

Project Tags

view all

Profiles

  • João Maerten Lem (1459 - d.)
    LEMS(segue tradução para o português do Google Translator)André L. Fr. Claeys Geschiedenis van de Brugse Lem/LemsB4===. João Leme,=== gedoopt in Lissabon op 20.11.1459, trok naar Madeira. Hij zou getro...
  • Fernão Afonso (b. - bef.1552)
    Afonso Anes foi filho de Fernão Afonso, conforme consta em trabalho publicado no Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira por Philippe Garnier e em apontamentos feitos por Francisco Ferreira Dru...
  • Gonçalo Anes da Fonseca, o Ribeira Seca (1430 - d.)
    Gonçalo Anes da Fonseca (volume II, 39), também apelidado da Ribeira Seca, por ser ali morador, natural de Lagos, no Algarve, cavaleiro fidalgo da Casa d’El-Rei D. Manuel e de sua mulher Mecia de Andra...
  • Marquesa Gonçalves Machado (c.1485 - bef.1605)
    Marquesa Gonçalves Machado tem seu nome e sua genealogia mencionados no livro Nobiliário da Ilha Terceira, volume 2, 97, de Eduardo de Campos de Castro de Azevedo. Ela também tem seu nome e genealogia ...
  • Helena Maria (b. - 1727)
    Helena Maria (nos Açores) ==Nascida - Lisboa Falecida a 12 de Janeiro de 1727Casada com João Furtado de Mendonça, tiveram#Teresa Maria +1794

A idéia deste projeto é tentar identificar os imigrantes de Portugal continental aos Açores, muitas vezes antepassados de brasileiros. A foto do projeto deve ser utilizada como foto dos perfis, em falta de uma mais específica. Não é necessário carregar a mesma foto em cada perfil. Pode-se utilizar a foto já carregada aqui no projeto para marcar mais pessoas.

Em 1427, dão-se os primeiros contactos com o arquipélago dos Açores por Diogo de Silves. Ainda nesse ano é descoberto o grupo oriental dos Açores, São Miguel e Santa Maria. Segue-se o descobrimento do grupo central -Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial. Em 1452 o grupo ocidental (Flores e Corvo) é descoberto por Diogo de Teive.

Os arquipélagos da Madeira e dos Açores eram despovoados e, por isso, havia necessidade de os ocupar, para evitar que povos estrangeiros os tomassem como seus.

D. Henrique mandou então organizar a sua colonização segundo o sistema de capitanias, isto é, dividiu as ilhas em vastos domínios (de tipo senhorial) e colocou na sua gestão capitães - donatários, atribuindo-lhes poderes administrativos, judiciais e militares.

Estas ilhas eram de grande importância para Portugal pois os cereais obtidos, ajudavam a ultrapassar a fome e a crise económica em Portugal e o açúcar era vendido, permitindo-nos alguns lucros. E finalmente as ilhas serviam para apoio à navegação: refúgio em caso de tempestades ou ataque e abastecimento.

Após a posse das terras no Novo Mundo que pertenciam a Portugal, este não demonstrou interesse imediato em explorar o local. O fato de não se ter encontrado metais preciosos nos primeiros anos de colonização do Brasil e também os lucros mais interessantes provenientes das especiarias no Oriente foi importante para determinar o comportamento de Portugal em relação ao Brasil. Somente quando outras nacionalidades, como os franceses, ameaçaram explorar o território é que os portugueses atentaram para a importância de colonizar as novas terras para impedir investidas de outros povos.

Para ocupar o território do Brasil pertencente a Portugal, os açorianos receberam vantagens. A primeira leva de casais açorianos chegou ao Brasil em 1617 e então o fluxo migratório mantevesse até o século XX. As capitanias de Santa Catarina e Rio Grande do Sul foram os destinos principais da imigração açoriana no Brasil, as duas regiões eram tomadas como importantes para colonização, medida que asseguraria a presença dos portugueses e garantiria a posse das terras. A população de Santa Catariana, especificamente, mais que dobrou por conta da presença dos açorianos.

Fontes: