Start My Family Tree Welcome to Geni, home of the world's largest family tree.
Join Geni to explore your genealogy and family history in the World's Largest Family Tree.

Freemasons in Brasil / Maçons Brasileiros

« Back to Projects Dashboard

view all

Profiles

Brazilian Freemasonry has been an integral part of the culture of the country, from the Colonial period, as has immeasurable importance in Brazil's independence from Portugal, the Abolition of Slavery and the Proclamation of the Republic, through its leadership, altruism, and public service character of its members. Although the Masons were the most famous presidents, CEOs, and other public figures, the vast majority of Masons were and are members of small towns who work in their own communities to advance the principles and traditions of Freemasonry. Due to its esoteric nature, they also have been the recipients of much research and curiosity over the years.

More information on Freemasons can be found via Maçonaria and Grande Oriente do Brasil. icn_magnifying_glass.gif

This project does not seek to determine whether Masons are "good" or "bad," and instead is merely interested in Masons for historical and genealogical purposes.

Translation into Portuguese

A Maçonaria Brasileira tem sido uma parte integrante da cultura do País, desde o Período Colonial, assim como tem importância imensurável na Independência do Brasil de Portugal, na Abolição da Escravatura e na Proclamação da República, através da liderança, altruísmo, serviço público e caráter de seus membros. Embora os Maçons mais famosos foram presidentes, CEOs, e outras figuras públicas, a grande maioria dos maçons eram e são membros de pequenas cidades que trabalham em suas próprias comunidades para fazer avançar os princípios maçônicos e tradições. Devido à sua natureza esotérica, eles também têm sido os destinatários de muita investigação e curiosidade ao longo dos anos.

Mais informações sobre os maçons podem ser encontradas no site Maçonaria e Grande Oriente do Brasil.


Este projeto não visa determinar se os maçons são "bons" ou "ruim", e em vez disso está apenas interessado em maçons para fins históricos e genealógicos.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Project Guidelines

What & What Not to Add

This project aims to connect all of the confirmed Brazilian Freemasons on Geni. The Masons added to the project should have their membership confirmed by themselves or their Lodges (primary documentation), or by reputable scholars (secondary documentation). If you are using Internet resources to find lists of Masons, be sure to use only reputable, sourced ones.

Please note: For the purposes of this project, being an "Brazilian Freemason" means being a member of an Brazilian Masonic Lodge. That means that some "Brazilian" Masons may originally be from other nations.

Please do add:

  1. Profiles for people confirmed to be members of Brazilian Lodges (see above)
  2. Lodge names/numbers in the "About Me" field on their profile whenever possible
  3. Sources in the "About Me" field on their profile

Please do not add:

  1. "Suspected" or rumored Masons
  2. Names from conspiracy theory websites

Research Tips & Suggestions

The best place to start is A Page About Freemasonry, the world's oldest Masonic website. It posts no genealogical information, but does have lots of good general information about Masons and how to contact state and local lodges.

Questions?


Please use the Discussions link at the top right.

Translation into Portuguese

Diretrizes do Projeto

O que adicionar e o que não adicionar


Este projeto visa conectar todos os maçons brasileiros confirmados na Geni. Os maçons adicionados ao projeto devem ter sua participação confirmada por si ou suas Lojas (documentação primária), ou pelos estudiosos de renome (documentação secundária). Se você estiver usando recursos da Internet para encontrar listas de maçons, certifique-se de utilizar apenas fontes respeitáveis.


Atenção: Para os fins deste projeto, sendo um "maçom brasileiro" significa ter sido ou ser um membro de uma Loja Maçônica Brasileira. Isso significa que alguns maçons brasileiro podem ser originários de outros Países.


Por favor, adicione:

  • Perfis de pessoas confirmadas como membros das Lojas Brasileiras (veja acima)
  • Nome da Loja no campo "Sobre Mim" em seu perfil, sempre que possível
  • Fontes no campo "Sobre Mim" em seu perfil

Por favor, não adicione:

  • Personalidades Maçônicas que sejam somente "suspeitas"
  • Os nomes de sites da Teoria da Conspiração

Dicas e Sugestões de pesquisa

Sites

O melhor lugar para começar é uma página sobre a Maçonaria, o mais antigo site do mundo maçônico. Ele não envia nenhuma informação genealógica, mas tem muitas boas informações gerais sobre os maçons e como entrar em contato com Lojas Estaduais e Locais.

No Brasil, os sites indicados são:

Bibliografia

  • Albuquerque, A.T. Cavalcante de. O que é Maçonaria. 7a ed., Editora Aurora. Rio de Janeiro.
  • D´Albuquerque, A. Tenório. A Maçonaria e a Independência do Brasil, 3a ed. Grafica Aurora, Rio de Janeiro.

Perguntas?


Por favor, use o link discussões no canto superior direito.

------------------------------------------------------------------------------------------------------

Freemasons in Brasil / Maçons Brasileiros

  1. Afonso Celso de Assis Figueiredo, 1º visconde de Ouro Preto (Ouro Preto, 21 de fevereiro de 1836 — Rio de Janeiro, 21 de fevereiro de 1912), foi um político brasileiro. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  2. Agostinho Ermelino de Leão (Curitiba, Parana, 14 de janeiro de 1871 - Curitiba, Parana, 27 de fevereiro de 1932) Advogado. Jornalista. Maçon ilustre citado no Site do Museu Maçonica Paranaense.
  3. [http://www.geni.com/people/Alfredo-d-Escragnolle-Taunay/6000000021792764787´Alfredo Maria Adriano d'Escragnolle Taunay, visconde de Taunay] (Rio de Janeiro, 22 de fevereiro de 1843 — Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1899) foi um nobre, escritor, músico, artista plástico, professor, engenheiro militar, político, historiador e sociólogo brasileiro. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  4. Américo Brasiliense de Almeida Mello (Sorocaba, São Paulo, 8 de agosto de 1833 - Rio de Janeiro, 25 de março de 1896) Político. Jurista. Abolicionista. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  5. Américo Brasiliense de Almeida Mello, Filho (São Paulo, 24 de março de 1864 - São Paulo, 8 de abril de 1942) Médico Sanitarista. Membro titular da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo, hoje, Academia de Medicina de São Paulo. Maçom ilustre citado no Site do Museu Maçonico Paranaense.
  6. Antônio Carlos de Andrada, III (Santos, São Paulo, 3 de março de 1836 - Barbacena, Minas Gerais, 26 de dezembro de 1893) foi um político brasileiro, juiz, deputado geral no Império e senador constituinte estadual por Minas Gerais na República. Pertence à segunda geração dos Andradas e é o terceiro político deste nome. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro.
  7. Antônio Carlos Ribeiro de Andrada Machado e Silva (Santos, 1 de novembro de 1773 — Rio de Janeiro, 5 de dezembro de 1845). Foi um juiz de fora, desembargador e político brasileiro. Usava freqüentemente na época da Independência, em seus artigos em jornais, o pseudônimo "Philagiosetero". Adotou o nome parlamentar de "Andrada Machado". É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.228.
  8. Antonio Ferrão Moniz de Aragão ( Salvador, Bahia, 28 de dezembro de 1813 - Brasil, 30 de julho de 1887) foi um positivista brasileiro, aluno de Augusto Comte e autor de trabalho de classificação científica. Maçom ilustre citado Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  9. Antonio Joaquim Macedo Soares (Maricá, Rio de Janeiro, 14 de janeiro de 1838 - Rio de Janeiro, 14 de agosto de 1905) foi um importante intelectual brasileiro da segunda metade do século XIX e do início do século XX no Brasil, tendo sido magistrado, jurista, lexicógrafo, político e escritor. Maçom ilustre citado no site Grande Loja Mista do Rito de Memphis-Misraim
  10. Antônio Francisco de Holanda Cavalcanti de Albuquerque, visconde de Albuquerque (Engenho Pantorra, Cabo - Pernambuco, 21 de agosto de 1797 — Rio de Janeiro, 14 de abril de 1863), foi um militar, proprietário rural e político brasileiro.Em 3 de dezembro de 1837, em substituição a José Bonifácio de Andrada e Silva, é eleito Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil, cargo que ocupou até 1850, quando então o passou a Miguel Calmon du Pin e Almeida (Marquês de Abrantes). Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  11. Antônio Pinto Nogueira Accioly (Icó, 11 de outubro de 1840 — Rio de Janeiro, 14 de abril de 1921) foi um político brasileiro, presidente e um dos mais influentes políticos do Ceará durante a República Velha. Foi também maçom pertencente a loja Fraternidade Cearense.
  12. Antonio da Silva Jardim Foi um advogado, jornalista e ativista político brasileiro, formado de Faculdade de Direito de São Paulo. Conhecido como o Herói da Proclamação da República. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  13. Antônio Vicente da Fontoura (Rio Pardo, 16 de junho de 1807 — Cachoeira do Sul, 20 de outubro de 1860) foi um político, diplomata e comerciante brasileiro. Principal líder civil da República Rio-Grandense, negociou a paz de Ponche Verde, que reintegrou o Rio Grande do Sul ao Brasil. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro.
  14. Benjamin Constant, o Pai da República (Niterói, Rio de Janeiro, 18 de outubro de 1836 - Rio de Janeiro, 22 de janeiro de 1891) foi um militar, professor e estadista brasileiro. Participou da Guerra do Paraguai (1865 - 1870) como engenheiro civil e militar. Citado como maçom ilustre no Site da Loja São Paulo n. 43.
  15. Benjamin de Almeida Sodré (Mecejana, CE, 10 de abril de 1892 — Rio de Janeiro, 1 de fevereiro de 1982) foi um escoteiro e um futebolista brasileiro que ficou conhecido como Mimi Sodré. Filiado à Loja "Regeneração Catarinense", era conhecido como o "IMPOLUTO MAÇOM", dadas suas qualidades de caráter e de coração. Foi eleito membro honorário e escolhido Deputado da Assembléia Legislativa do Grande Oriente do Brasil, chegando a exercer o cargo de Grão-Mestre. Citado como maçom ilustre no Site da Loja São Paulo n. 43.
  16. Bento Gonçalves (Senhor Bom Jesus do Triunfo, Rio Grande do Sul, 23 de setembro de 1788 - Pedras Brancas, Rio Grande do Sul, 18 de julho de 1847) Foi um militar, maçom e revolucionário brasileiro, e um dos líderes da Revolução Farroupilha, que buscava a independência da província do Rio Grande do Sul do Império do Brasil. Maçom ilustre citado no Site da Loja São Paulo n. 43.
  17. Bernardino José de Campos, Junior (Pouso Alegre, Minas Gerais, 6 de dezembro de 1841 - São Paulo, 18 de janeiro de 1915) foi um advogado e político brasileiro. Foi o segundo e sexto presidente do governo do estado de São Paulo. É homenageado dando seu nome ao município de Bernardino de Campos. Maçom ilustre citado no Site da Loja São Paulo n. 43.
  18. Café Filho, 18º Presidente do Brasil (Natal, 3 de fevereiro de 1899 — Rio de Janeiro, 20 de fevereiro de 1970) foi um advogado e político brasileiro, sendo presidente do Brasil entre 24 de agosto de 1954 e 8 de novembro de 1955, quando foi deposto. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.228.
  19. Campos Salles, 4o Presidente do Brasil (Campinas, 15 de fevereiro de 1841 — Santos, 28 de junho de 1913) foi um advogado e político brasileiro, terceiro presidente do estado de São Paulo, de 1896 a 1897 e o quarto presidente da República, entre 1898 e 1902. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.228.
  20. Cândido José de Araújo Viana, Visconde e Marquês de Sapucaí (Nova Lima, Minas Gerais, 15 de setembro de 1793 - Rio de Janeiro, 23 de janeiro de 1875) foi um juiz de fora, desembargador e político brasileiro. Maçom ilustre citado Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  21. Cipriano José Barata de Almeida (Salvador, 26 de setembro de 1762 — Natal, 7 de junho de 1838) foi um médico e político brasileiro. Juntamente com o professor Francisco Muniz Barreto, e outros, foi membro da primeira Loja Maçónica brasileira, a "Loja Cavaleiros da Luz", fundada em Salvador em 1797. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.228.
  22. Delfim Moreira, 10º Presidente do Brasil (Cristina, Minas Gerais, 7 de novembro de 1868 - Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais, 1 de julho de 1920) foi um advogado e político brasileiro. Foi presidente do Brasil entre 15 de novembro de 1918 e 28 de julho de 1919. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  23. D. Pedro, I Imperador do Brasil e IV Rei de Portugal (Palácio de Queluz, Lisboa, Portugal, 12 de outubro de 1798 - Palácio de Queluz, Lisboa, Portugal, 24 de setembro de 1834) Foi o primeiro imperador e também o primeiro chefe de Estado e de governo do Brasil (de 1822 a 1831), além de ter sido o 28º Rei de Portugal, durante sete dias de 1826. Em Portugal é conhecido como O Rei-Soldado, por combater o irmão D. Miguel na Guerra Civil de 1832-34 ou O Rei-Imperador. É também conhecido, de ambos os lados do oceano Atlântico, como O Libertador — Libertador do Brasil do domínio português e Libertador de Portugal do governo absolutista. Foi iniciado 13 de julho de 1822, na Loja Comércio e Artes. Três dias depois, foi elevado ao grau de Mestre. Em 14 de setembro de 1822 tomou posse no cargo de Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil.
  24. Deodoro da Fonseca, 1o Presidente do Brasil (Cidade de Alagoas, 5 de agosto de 1827 — Rio de Janeiro, 23 de agosto de 1892) foi um militar e político brasileiro, proclamador da República e primeiro presidente do Brasil. 13o Grã Mestre da Ordem de 1891. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.235.
  25. Dilermando Candido de Assis (Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 18 de janeiro de 1888 - Rio de Janeiro, c. 1951) foi um militar, engenheiro, escritor e maçom brasileiro, famoso pela tragédia amorosa vivida com a esposa do escritor Euclides da Cunha. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela Wikipédia.
  26. Diniz Dias, barão de São Jacó (São Luiz Gonzaga, 1825 — Cruz Alta, 15 de novembro de 1892) foi um militar brasileiro. Foi o fundador da Loja Maçônica em Cruz Alta. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pelo site WIKIPÉDIA
  27. Domingos José de Almeida (Diamantina, 9 de julho de 1797 — Pelotas, 6 de maio de 1871) foi um fazendeiro, político, jornalista e militar brasileiro. Homem culto, era considerado como tendo uma das biblioteca mais completas do Rio Grande do Sul na época, ao lado de Felinto Elísio. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro.
  28. Domingos José Martins (Marataízes, Espirito Santo, 9 de maio de 1781 - Bahia, Brazil, 12 de junho de 1817) Na Revolução de 1817, emergiu de maneira brilhante e singular. Derrotado, foi preso e enviado à Bahia, sendo fuzilado em 12 de junho de 1817, no Campo da Pólvora, hoje conhecido como Campo dos Mártires. Maçom ilustre citado no site da Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  29. Duque de Caxias (Porto da Estrela, 25 de agosto de 1803 — Desengano, 7 de maio de 1880) foi um dos mais importantes militares e estadistas da história do Brasil. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.235.
  30. Emiliano David Perneta (Pinhais, 3 de janeiro de 1866 — Curitiba, 19 de janeiro de 1921) foi um advogado e poeta brasileiro. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.229.
  31. Fernando Luís Osório (Bagé, Rio Grande do Sul, 30 de maio de 1848 - Rio de Janeiro, 26 de novembro de 1896) Foi Deputado à Assembléia Legislativa de sua província natal em diversas legislaturas e à Assembléia-Geral Legislativa, pela mesma província, na 16ª legislatura (1878) e pela de Santa Catarina na 17ª legislatura (1878-1881). Foi Ministro do Supremo Tribunal Federal. Citado como Maçons Ilustre pelo site do Supremo Tribunal Federal.
  32. Fernando Prestes de Albuquerque (Angatuba, 26 de junho de 1855 — São Paulo, 25 de outubro de 1937) foi um agricultor, advogado e político brasileiro, quarto presidente do estado de São Paulo entre novembro de 1898 e maio de 1900. Citado como Maçom ilustre no Site da Loja São Paulo n. 43.
  33. Floriano Peixoto, 2º Presidente do Brasil (Maceió, 30 de abril de 1839 — Barra Mansa, 29 de junho de 1895) foi o primeiro vice-presidente e segundo presidente do Brasil. Presidiu o Brasil de 23 de novembro de 1891 a 15 de novembro de 1894, no período da República Velha. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.230.
  34. Francisco Antonio de Almeida Morato (Piracicaba, 17 de outubro de 1868 — São Paulo, 12 de maio de 1948) foi um advogado, jurista e político brasileiro. Foi promotor público e fundador da Ordem dos Advogados de São Paulo, a qual presidiu de 1916 a 1922 e de 1925 a 1927. Maçom ilustre citado no Site da Loja São Paulo n. 43.
  35. Francisco Gomes Brandão ou Francisco Jê Acaiaba de Montezuma, visconde de Jequitinhonha (Salvador, 23 de março de 1794 — Rio de Janeiro, 15 de fevereiro de 1870), foi um advogado, jurista e político brasileiro. Maçom ilustre citado no Site da Loja São Paulo n. 43.
  36. Frei Caneca (Recife, 20 de agosto de 1779 — Recife, 13 de janeiro de 1825), foi um religioso e político brasileiro. Esteve implicado na Revolução Pernambucana (1817) e na Confederação do Equador (1824). Como jornalista, esteve à frente do Typhis Pernambucano. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.231.
  37. Gaspar Silveira Martins (Departamento de Cerro Largo, 5 de agosto de 1835 — Montevidéu, 23 de julho de 1901) foi um magistrado e político brasileiro. Foi deputado provincial, deputado geral, presidente de província, ministro da Fazenda e senador do Império do Brasil de 1880 a 1889. Citado como Maçom ilustre no Site da Loja São Paulo n. 43.
  38. Giuseppe Garibaldi (Nice, Provence-Alpes-Côte d'Azur, France, 4 de julho de 1807 - Isola Caprera, Italia, 2 de junho de 1882) Denominado "Heróis de Dois Mundos", participou da Revolução Farroupilha. Garibaldi foi iniciado na Loja Asilo da Virtude, do Rio Grande. Transferido para Montevidéu, desligou-se de sua Loja Mater e, em 28 de agosto de 1844, filiou-se à Loja Amis de la Patrie, subordinada ao Grande Oriente da França. Não foi além do 3o grau, havendo mesmo quem afirme que não passou de Aprendiz. Em 1862, o Supremo Conselho de Palermo concedeu-lhe o grau 33o, através da Loja Regenerados de 1848 - Unitários de 1860, bem como o título de Grã-Mestre. Ver Projeto Freemasons. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, págs. 127-128 e 250.
  39. Hermes da Fonseca, 8o Presidente do Brasil (São Gabriel, 12 de maio de 1855 — Petrópolis, 9 de setembro de 1923) foi um militar e político brasileiro, presidente do Brasil entre 1910 e 1914. Era sobrinho do Marechal Deodoro da Fonseca, 1º presidente do Brasil. Iniciado em 06/01/1886. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.231.
  40. Honório Hermeto Carneiro Leão, marquês de Paraná (Jacuí, Minas Gerais, 11 de janeiro de 1801 - Rio de Janeiro, 3 de setembro de 1856) foi um estadista, diplomata, magistrado e político brasileiro. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  41. Jânio Quadros, 22º Presidente do Brasil (Campo Grande, Mato Grosso do Sul, 25 de janeiro de 1917 - São Paulo, 16 de fevereiro de 1992) Foi um político e o vigésimo segundo presidente do Brasil, entre 31 de janeiro de 1961 e 25 de agosto de 1961 — data em que renunciou. Em 1985 elegeu-se prefeito de São Paulo pelo PTB. Foi o único sul-mato-grossense presidente do Brasil. Fonte: Site da Loja Obreiros de Irajá n. 1068
  42. João Lustosa da Cunha Paranaguá, marquês de Paranaguá (Nossa Senhora do Livramento, Piauí, 21 de agosto de 1821 - Rio de Janeiro, 9 de fevereiro de 1912) Foi um magistrado e político brasileiro. Governou as províncias do Maranhão, Pernambuco e Bahia. Foi ministro em diversos gabinetes e presidente do Conselho de Ministros (26º gabinete). Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  43. João Tibiriça Piratininga (Itu (SP), a 7 de agosto de 1829 - Nice, França, a 1º de dezembro de 1888) foi agricultor e político, além de, embora não chegando a ser implantada a República, um dos maiores líderes republicanos da Província dse São Paulo, injustamente pouco citado pelos historiógrafos. Maçon ilustre citado no site Site do Museu Maçonica Paranaense.
  44. João Vieira de Carvalho, 1º barão,1º conde e 1º marquês das Lajes (Olivenza, Badajoz, Extremadura, Spain, 16 de novembro de 1781 - Rio de Janeiro, 1 de abril de 1847) foi um engenheiro, militar e político brasileiro. Maçom ilustre citado Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  45. Joaquim José Rodrigues Torres, visconde de Itaboraí (Itaboraí, Rio de Janeiro, 13 de dezembro de 1802 - Rio de Janeiro, 8 de janeiro de 1872) foi um jornalista e político brasileiro. Maçom ilustre citado Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  46. Joaquim Nabuco (Recife, 19 de agosto de 1849 — Washington, 17 de janeiro de 1910) foi um político, diplomata, historiador, jurista e jornalista brasileiro formado pela Faculdade de Direito do Recife. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Joaquim Nabuco é iniciado na Loja Maçônica AMÉRICA, jurisdicionada ao Grande Oriente dos Beneditinos, cujo Grão Mestre era Saldanha Marinho. Maçom ilustre citado no site Página ou Portal Maçônico - Samaúma
  47. Joaquim Pereira de Macedo (Morretes, Parana, 16 de fevereiro de 1858 - Curitiba, Paraná, 2 de março de 1949) 1º Grão Mestre Adjunto do Grande Oriente e Supremo Conselho do Paraná. Maçom ilustre citado no site Site do Museu Maçonica Paranaense.
  48. Jonathas Abbott Filho (Salvador, 1825 — São Gabriel, 1887) foi um médico militar brasileiro. Maçom ilustre citado no site Wikipédia.
  49. Jorge Tibiriçá Piratininga (Paris, 15 de novembro de 1855 — São Paulo, 30 de setembro de 1928) foi o segundo governador do estado de São Paulo Brasil de outubro de 1890 a março de 1891 e seu sétimo presidente (de 1904 a 1908). Realizou seus estudos na Alemanha e na Suíça, formando-se em agrotecnia e em filosofia. Foi presidente do Partido Republicano Paulista (PRP). Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  50. José Álvares Maciel (Vila Rica, 1760 – Massangano, Angola, 1804) foi um engenheiro e político brasileiro. Maçom iniciado na Europa, é considerado por todos os estudiosos o intelectual da Inconfidência Mineira. Maçom ilustre citado Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  51. José Antonio Pimenta Bueno, 1º marquês de São Vicente (São Paulo, 4 de dezembro de 1803 - Rio de Janeiro, 19 de fevereiro de 1878) foi um magistrado e político brasileiro. Maçom ilustre citado Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  52. José Bonifácio e Silva, o Patriarca da Independência (Santos, 13 de junho de 1763 — Niterói, 6 de abril de 1838) foi um naturalista, estadista e poeta brasileiro. Foi Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil nos períodos de 1822 e 1831 a 1837, de acordo com o site Grande Oriente do Brasil. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.233.
  53. José Gomes de Vasconcelos Jardim (Triunfo, 1773 — Guaíba, Rio Grande do Sul, 1854) foi um fazendeiro, maçom, médico-prático e militar brasileiro. Foi presidente da República Rio-Grandense durante a Guerra dos Farrapos. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro.
  54. José Joaquim de Andrade Neves, barão do Triunfo (Rio Pardo, Rio Grande do Sul, 22 de janeiro de 1807 - Asuncion, Paraguay, 6 de janeiro de 1869) foi um militar brasileiro. É reconhecido por sua importante participação na Guerra do Paraguai. Foi, por décadas, cultuado como patrono da Cavalaria Brasileira. Maçom ilustre citado Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  55. José Joaquim da Rocha (Mariana, Minas Gerais, 19 de outubro de 1777 - Rio de Janeiro, 16 de julho de 1848) Capitão-mor, do conselho de Sua Majestade o Imperador, dignitário da ordem imperial do Cruzeiro. Grande figura que participou da Independência do Brasil. Pertenceu ao Clube da Resistência transformado em Loja Maçônica Nove de Janeiro, em honra ao dia do Fico. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.232.
  56. José Maria da Silva Paranhos, Visconde do Rio Branco foi um estadista, professor, político, jornalista, diplomata e monarquista brasileiro. Tornou-se membro da Maçonaria por volta de 1840, chegando a publicar um folheto a respeito da "Constituição Maçônica". Maçon, Grau 33 e Grão-Mestre da Loja da rua do Lavradio. Cooperou com a publicação de vários jornais anticlericais editados pela maçonaria, entre eles no Rio, o jornal A Família; em São Paulo, o Correio Paulistano; em Porto Alegre, O Maçom; no Pará, o Pelicano; no Ceará, A Fraternidade; no Rio Grande do Norte, A Luz; em Alagoas, O Labarum e em Recife, dois, A Família Universal e A Verdade. Quando da interdição das irmandades religiosas infiltradas por maçons, por Dom Vital de Olinda e Dom Antônio Macedo Costa, moveu processo contra estes dois bispos, o que culminou com a prisão de Dom Vital em 1874. Foi um dos ministérios mais duradouros do período imperial, com participação de políticos de ambos os partidos. Coube a Paranhos sancionar a Lei do Ventre Livre (28 de setembro de 1871) e enfrentar a questão epíscopo-maçônica nos anos de 1873/1874. Tinha interesse direto na questão, já que era ele mesmo grão-mestre da maçonaria. Maçom ilustre citado no site da Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  57. José Mariano de Albuquerque Cavalcanti José Mariano de Albuquerque Cavalcanti (Santana do Acaraú, 20 de maio de 1772 — Magé, 20 de agosto de 1844) foi militar e político brasileiro. Foi presidente das províncias do Ceará, de 8 de outubro de 1831 a 23 de novembro de 1833, e de Santa Catarina, de 4 de novembro de 1835 a 28 de maio de 1836. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  58. José Pereira dos Santos Andrade mais conhecido como Santos Andrade (Paranaguá, 9 de abril de 1842 — Curitiba, 15 de junho de 1900), foi um comerciante, promotor e político brasileiro. Maçom ilustre citado pelo Site do Museu Maçonica Paranaense.
  59. José do Patrocínio (Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, 9 de outubro de 1853 - Rio de Janeiro, 29 de janeiro de 1905) Foi um farmacêutico, jornalista, escritor, orador e ativista político brasileiro. Destacou-se como uma das figuras mais importantes dos movimentos Abolicionista e Republicano no país. Fonte:Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  60. Júlio Davi Perneta (Curitiba, 27 de dezembro de 1869 - Curitiba, 23 de julho de 1921) foi um escritor, poeta e jornalista brasileiro. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.232.
  61. Julio Prestes (Itapetininga, 15 de março de 1882 — São Paulo, 9 de fevereiro de 1946) era advogado e foi eleito à presidência da república aos 48 anos. Ele e seu vice-presidente, Vital Henrique Batista Soares, foram eleitos, mas não tomaram posse em função da eclosão da Revolução de 1930. Uma Junta Governativa assumiu o poder. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  62. Lauro Nina Sodré e Silva (Belém, Pará, 17 de outubro de 1858 - Rio de Janeiro, 16 de junho de 1944) foi militar, político e lider republicano. Iniciado em 1º de agosto de 1888, na Loja Harmonia, de Belém, fundada em 1856, pelo famoso padre Eutíquio Ferreira da Rocha, tornou-se Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil em 1904, sendo reeleito em 1907, 1910, 1913 e 1916, não completando o último mandato, por ter sido eleito governador do Pará. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  63. Leocádio Pereira Da Costa (Paranaguá, Parana, 8 de dezembro de 1832 - Paranaguá, Parana, 1 de abril de 1884) Trabalhou na alfândega, em Paranaguá-PR, de 1878 a 1881. Maçom ilustre citado no Site do Museu Maçonica Paranaense.
  64. Luiz Gonzaga (Exu, Pernambuco, 13 de dezembro de 1912 - Recife, Pernambuco, 2 de dezembro de 1989) Cantor. Compositor. Sanfoneiro. Conhecido como o Rei do Baião. Pai de Gonzaguinha. Maçom ilustre citado no site da Loja Maçônica Vigilância e Resistência n.º 70.
  65. Manoel Aurélio Tavares de Gouveia (Goiana, Pernambuco, ca. 1840 - ca. 1915) Um Coronel, diretor da Companhia Industrial da fiação e tecidos de Goyana e homem de influência na cidade. Chefiou a campanha republicana em Goiana, Pernambuco. Identificado como maçom no site da câmera municipal de Goiana, e no "Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro - 1891 a 1940 - PR_SOR_00165_313394".
  66. Manoel de Moraes Barros (Itu, Sao Paulo, 1 de maio de 1836 - 20 de dezembro de 1902) Foi um advogado, empresário e político brasileiro. Irmão do Presidente Prudente de Moraes. Foi senador pelo Estado de São Paulo de 1895 a 1902, além de deputado provincial. Exerceu os cargos de promotor, juiz municipal e delegado de polícia em Piracicaba. Maçom ilustre citado no site da Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  67. Marechal Osório (Conceição do Arroio, Rio Grande do Sul, 10 de maio de 1808 - Rio de Janeiro, 4 de outubro de 1879) Foi o comandante das Forças Brasileiras na Guerra da Tríplice Aliança contra o Paraguay. Maçom ilustre citado no Site da Loja São Paulo n. 43.
  68. Martim Francisco Ribeiro de Andrada (Santos, 19 de abril de 1775 — Santos, 23 de fevereiro de 1844) foi um político brasileiro, presidente da Câmara dos Deputados e ministro da Fazenda do Império do Brasil. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.236.
  69. Martim Francisco Ribeiro de Andrada (o moço) (Mucidan, Marselha), França, 10 de junho de 1825 — 2 de março de 1886). Foi um político brasileiro. Presidente da Câmara dos Deputados e ministro no II Império. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.236.
  70. Martinho da Silva Prado Júnior (São Paulo, 1843 — São Paulo, 24 de maio de 1906), conhecido como Martinico Prado, foi político e empresário brasilleiro. Foi deputado na Assembléia Provincial de São Paulo, pelo Partido Republicano Paulista, por quatro legislaturas, tendo a primeira começado em 1878 e a última terminado em 1889. Foi defensor da abolição dos escravos. Citado como Maçom ilustre pelo site Site das Lojas Maçonicas no Brasil
  71. Miguel Calmon du Pin e Almeida, 1º marquês de Abrantes (Santo Amaro, BA, 26 de outubro de 1796 - Rio de Janeiro, 13 de setembro de 1865) foi um nobre, político e diplomata brasileiro. Maçom ilustre citado no site da Site das Lojas Maçonicas no Brasil.
  72. Nereu de Oliveira Ramos, 20º Presidente do Brasil (Lages, 3 de setembro de 1888 — São José dos Pinhais, 16 de junho de 1958). Foi presidente da República durante dois meses e 21 dias, de 11 de novembro de 1955 a 31 de janeiro de 1956. Foi vice-presidente do Brasil, eleito pelo Congresso Nacional, de 1946 a 1951. Foi Governador do Estado de Santa Catarina. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.236.
  73. Nicolau Pereira de Campos, Senador Vergueiro (Vale da Porca, Concelho de Macedo de Cavaleiros, Bragança, Portugal, 20 de dezembro de 1778 - Rio de Janeiro, 18 de setembro de 1859) Foi um fazendeiro de café e político luso-brasileiro. Em 1821, às vésperas da Independência do Brasil, tornou-se membro do governo provisório da província de São Paulo. Exerceu outros cargos nas províncias de São Paulo e Minas Gerais. Participante da constituinte de 1823. Era senador e, com a abdicação de Pedro I do Brasil integrou a Regência Trina provisória (1831) durante a menoridade de seu filho Pedro II do Brasil. Maçom ilustre citado no Site da Loja São Paulo n. 43.
  74. Nilo Peçanha, 7º Presidente do Brasil (Freguesia de Nossa Senhora da Penha do Morro do Côco, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, 2 de outubro de 1867 - Rio de Janeiro, 31 de março de 1924) foi um político brasileiro. Assumiu a presidência da república após o falecimento de Afonso Pena, em 14 de junho de 1909, e governou até 15 de novembro de 1910. Foi, talvez, o único mulato presidente do Brasil. Maçom ilustre citado no Site da Loja São Paulo n. 43.
  75. Prudente de Moraes, 3º Presidente do Brasil (Itu, 4 de outubro de 1841 — Piracicaba, 13 de dezembro de 1902) foi um advogado e político brasileiro, primeiro governador do estado de São Paulo (1889-1890), senador, presidente da Assembleia Nacional Constituinte de 1891, terceiro presidente do Brasil, tendo sido o primeiro político civil a assumir este cargo e o primeiro a fazê-lo por força de eleição direta. Maçom ilustre citado no Site da Loja São Paulo n. 43.
  76. Quintino Bocayuva (Itaguaí, 4 de dezembro de 1836 — Rio de Janeiro, 11 de junho de 1912) foi um jornalista e político brasileiro, conhecido por sua atuação no processo da Proclamação da República. Como político, foi o primeiro ministro das relações exteriores da República, de 1889 a 1891, e presidente do estado do Rio de Janeiro, de 1900 a 1903. 13o Grã Mestre de 1901 a 1904. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.236.
  77. Presciliano da Silva Correia (Brasil, c. 1849 - Brasil, ?) Comerciante. Foi iniciado na Loja Perseverança nº 0.159, em Paranaguá, em 1872, conforme anotação no quadro de obreiros de 1886. Grau 30 em 1º/12/1915. Maçon ilustre cita no Site do Museu Maçonica Paranaense.
  78. Rodrigues Alves, 5o Presidente do Brasil (Guaratinguetá, 7 de julho de 1848 — Rio de Janeiro, 16 de janeiro de 1919) foi um advogado, político brasileiro, Conselheiro do Império, presidente da província de São Paulo, presidente do estado, ministro da fazenda e quinto presidente do Brasil. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.237.
  79. Salvador de Mendonça (Itaboraí, Rio de Janeiro, 21 de julho de 1841 - Rio de Janeiro, 5 de dezembro de 1913) foi um advogado, jornalista, diplomata e escritor brasileiro, um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras e um dos idealizadores do Movimento Republicano no país. Citado como fundador da Loja América - 0189, Oriente de São Paulo, conforme site da História da Loja América.
  80. Trajano Joaquim dos Reis ( São Felix, Bahia, 19 de março de 1852 - Curitiba, Parana, 12 de agosto de 1919) dedicado médico, sendo seu trabalho agradecido pelos jornais, uma forma de levar ao conhecimento de toda a população o magnífico trabalho desenvolvido, com um detalhe, dos pobres nada cobrava. Maçom ilustre citado pela : Museu Maçonico Paranaense,
  81. Tristão de Alencar Araripe (Icó, 7 de outubro de 1821 — Rio de Janeiro, 3 de junho de 1908) foi um escritor, magistrado, jurista e político brasileiro. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.239.
  82. Washington Luiz, 13º Presidente do Brasil (Macaé, 26 de outubro de 1869 — São Paulo, 4 de agosto de 1957) foi um advogado, historiador e político brasileiro, décimo primeiro presidente do estado de São Paulo, décimo terceiro presidente do Brasil e último presidente da República Velha. Maçom ilustre citado no Site da Loja São Paulo n. 43.
  83. Wenceslau Braz, 9º Presidente do Brasil (Brasópolis, 26 de fevereiro de 1868 — Itajubá, 15 de maio de 1966) foi presidente do Brasil entre 1914 e 1918, com um pequeno afastamento de um mês em 1917 por motivo de doença. Quando Governador de Minas Gerais, ofereceu o terreno onde fica construído o Grande Oriente do Brasil. É relacionado como membro da Maçonaria Brasileira pela obra O QUE É MAÇONARIA, de A.Tenório Cavalcante Albuquerque, 7a Ed., Editora Aurora, Rio de Janeiro, p.239.